Escolas de SP antecipam estudo pela internet

Mariana Mandelli - O Estado de S.Paulo

Enquanto a rotina das aulas não volta, colégios particulares de São Paulo estão usando recursos virtuais para não atrasar o conteúdo didático do semestre. Atividades pedagógicas e orientações de estudo são o foco das tarefas online. "Disponibilizaremos no site duas cargas de exercícios, de todas as disciplinas", diz o diretor pedagógico do Bandeirantes, Pedro Fregoneze. O Colégio Rio Branco abriu várias frentes de produção de materiais, usando até mesmo vídeo - aulas, orientações de revisão, conteúdo e reforço foram gravados. Os professores têm liberdade para gravar o que julgarem necessário. "A ideia é manter o aluno conectado à escola e aos estudos", diz Esther Carvalho, diretora. Entre hoje e amanhã, a escola pretende disponibilizar em seu site o material pronto. Os alunos do ensino fundamental e médio do Colégio Magno também terão acesso a um banco de exercícios online. "Haverá reposição de aulas, mas as atividades amenizam o prejuízo", diz Cláudia Tricate, diretora pedagógica.EM AULAJá uma outra parte de escolas privadas optou por dar início às aulas ontem - a maior parte é de pequenas instituições de educação infantil, que estão funcionando com metade dos alunos. "Não temos muitas crianças, o que torna viável um acompanhamento personalizado", diz o diretor da Fazendinha Educação Infantil, em Perdizes, Fabio Valentini. Para o publicitário Rogério Cunha, de 34 anos, pai de aluna, a atitude é pertinente. "Confio nas medidas e no cuidado deles", diz. Em algumas instituições, os pais assinaram um termo de responsabilidade. "É uma autorização deles para os filhos permanecerem aqui", diz Tebbe Dorta, diretora da Aquarela Encantada, que está funcionando com 15 dos 32 matriculados.Na São Gabriel, os pais de quatro crianças pediram que a escola permanecesse aberta.