Escolas de SP adotam medidas de prevenção à gripe na volta às aulas

Mariana Mandelli - O Estado de S.Paulo

Colégios pedem que alunos não compartilhem objetos, além de suspender jogo coletivo e atividade em local fechado

Na volta às aulas da maior parte dos 9 milhões de estudantes das redes pública e particular de ensino básico e superior do Estado de São Paulo, as escolas vão adotar, a partir de hoje, uma série de medidas para evitar a propagação da gripe suína. Além da colocar à disposição dos alunos álcool gel e copos descartáveis, há colégios recomendando que as crianças não compartilhem brinquedos, objetos pessoais e material escolar. Outras pretendem evitar jogos coletivos, suspenderam atividades em locais fechados e estão desligando os aparelhos de ar-condicionado. Veja mais informações sobre a pandemia de gripe no mundo Outros Estados que tinham adiado o início das aulas também retomam as atividades hoje - entre eles Paraná, Rio e Rio Grande do Sul. Em Minas, as escolas da rede estadual tinham voltado na semana passada. Há instituições e municípios, porém, que decidiram manter as férias por mais algumas semanas.A maior preocupação agora é com funcionárias,professoras e alunas grávidas. Parte dos colégios tem optado por afastá-las temporariamente. PRECAUÇÃOAs medidas adotadas em São Paulo variam de acordo com o perfil da escola. No Colégio Oswald de Andrade, o ar-condicionado foi desligado e, no refeitório, bandejas, canecas e talheres foram retirados. Os alimentos serão entregues embalados.Já a Escola Castanheiras pede para os pais enviarem um kit com lenço de papel e garrafa de água. No Miguel de Cervantes, os alunos devem sair da classe ao fim de cada aula. A natação foi suspensa.No colégio Guilherme Dumont Villares a recomendação é para que as crianças e jovens não compartilhem MP3 players e celulares. "Quanto menos atividades que envolvam manuseio de objetos melhor", explica Ana Sigaud, coordenadora de marketing do Colégio Pentágono. A escola vai retirar as almofadas e tapetes das salas infantis e suspender as aulas de culinária e oficinas de massinha.Algumas escolas particulares também resolveram afastar as funcionárias grávidas. O Colégio Santa Amália, por exemplo, afastou três gestantes e o Rio Branco prorrogou as férias delas em mais uma semana. No Sesi e no Senai, o afastamento de 180 funcionárias grávidas está em discussão.A atitude das escolas, que vêm se comunicando com os pais durante o recesso, acalma as famílias. Mãe de duas meninas, de 5 e 8 anos, que estudam no Pentágono, a empresária Silvia Tortorella, acredita que as escolas estão preparadas. "As instituições devem ter consciência de que estamos em um momento de atenção", disse.O estudante do colégio Rio Branco Fabio D?Arienzo, de 15 anos, também está tranquilo em relação ao retorno às aulas. "Recebemos as orientações de higiene e acho que meus colegas vão agir com cuidado."Apesar das medidas anunciadas, alguns pais ainda temem a volta às aulas, especialmente nas escolas públicas. A doméstica Nice Nascimento, de 48 anos, mãe de Camila, de 17, e Mariana, de 12, teme pela saúde das filhas. "Não estou confiante, mas elas não podem perder o ano."Para a rede pública estadual, a Secretaria da Educação realizou na semana passada uma videoconferência com o objetivo de orientar 210 mil professores e distribuiu para as escolas 36 mil cartazes com orientações sobre gripe suína.Os alunos devem receber informativos elaborados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE). Além disso, a partir de hoje, professores poderão acessar e imprimir atividades didáticas sobre o tema no site da secretaria (www.educacao.sp.gov.br).A recomendação para a rede pública é cumprir o calendário de 200 dias letivos, com reposição das aulas adiadas. No caso da rede municipal de São Paulo, a prefeitura determinou reposição aos sábados. FRASEAna SigaudCoordenadora de marketing do Colégio Pentágono"Quanto menos atividades que envolvam manuseio de objetos melhor (para evitar a contaminação pelo vírus H1N1)"TIRA DÚVIDAS Deve ser proibido o uso de objetos que alunos compartilham?É preciso ter alguns cuidados com objetos pessoais porque a gripe é transmitida por gotículas de secreções respiratórias que contêm o vírus, espalhadas pela tosse, espirros e durante a falaDeve-se intercalar intervalos e horários de entrada e saída?Sempre que for possível, é melhor evitar aglomerações porque elas facilitam a transmissão do vírusÉ necessário afastar funcionárias grávidas?A Secretaria da Saúde recomenda que os estabelecimentos de ensino transfiram temporariamente as gestantes para setores onde haja menor risco de exposição à gripe. Na impossibilidade da transferência, alternativas legais de afastamento temporário podem ser consideradas, como licençaÉ necessário cancelar eventos, feiras, festas e excursões?Por enquanto, não. Atividades ao ar livre, porém, são as mais recomendadasAlunos com sintomas de gripe devem ir para a escola?Não. A recomendação é ficar em casa até que o período de transmissão do vírus termineSe um aluno leva para escola um atestado que comprova que não está gripado (tem bronquite, por exemplo), mas ele não para de espirrar, o que fazer?Deve ser monitorado. Caso tenha febre ou piora do quadro, deve ser encaminhado ao médicoHaverá reposição das aulas?Na rede particular, cada escola definirá a melhor forma. Naspúblicas, a recomendação é cumprir os 200 dias letivos