Entrevista

Camila Viegas-Lee - O Estado de S.Paulo

Energia renovável, eficiência energética. No noticiário sobre a crise, os dados da economia verde, uma das apostas do presidente Barack Obama para a retomada do crescimento do país, têm sido um raro motivo para os americanos encararem o futuro com otimismo. Eis um deles: segundo a Sociedade Americana de Energia Solar (Ases) e o Serviço de Gerenciamento da Informação, instituto de pesquisas econômicas de Washington, em 2030, haverá 37 milhões de empregos em energia solar, eólica, de biomassa e celular.A estimativa é de que, até lá, o setor gire por ano US$ 4,3 bilhões. Em 2007, essas áreas movimentaram US$ 1 bilhão e tinham 9 milhões de empregados. Na época, cresciam três vezes mais que a média da economia. "A indústria da tecnologia limpa terá empresas tão grandes quanto Google, Microsoft e GM", aposta Rona Fried. Principal executiva da SustainableBusiness.com, ela gerencia a Green Dream Jobs, primeira agência de empregos verdes do país.A demanda por empregos verde está mesmo crescendo ou se trata de uma miragem?Nos últimos quatro a cinco anos, houve enorme crescimento. Ele foi afetado pela recessão, como em qualquer outra área, mas tem ganhado mais atenção por causa do pacote de Obama. Assim que o crédito voltar, haverá grande demanda de empregos.A recessão afetou mais a demanda por empregos verdes do que em outras áreas?Não há como saber. Certamente muitas empresas cortaram empregos verdes porque estão em dificuldades. Mas grandes corporações têm preservado projetos porque os consideram essenciais para seu futuro. A 3M, por exemplo, anunciou o lançamento de uma divisão de materiais renováveis para a indústria de energia limpa. O grupo Ecomagination da GE planeja dobrar até 2010 o orçamento de pesquisa e desenvolvimento, para US$ 1,5 bilhão por ano. Durante muitos anos, os analistas se perguntavam se as empresas comprometidas com sustentabilidade se sairiam melhor do que suas competidoras. Isso aconteceu no ano passado. Em 16 de 18 indústrias avaliadas, essas empresas foram as líderes na avaliação do mercado financeiro, segundo analistas da A.T. Kearney.Que tipos de emprego você espera que fiquem em alta no futuro próximo?Aqueles relacionados à energia renovável - solar, eólica, geotérmica, de biocombustíveis, etc - e à redução do consumo em imóveis. Há uma explosão de programas de treinamento nos EUA - parcerias entre governo, universidades, ONGs - e isso é novidade.Pelo relatório do Ases, a maioria dos empregos criados pelas empresas de energia renovável e de eficiência energética tem o mesmo perfil do de outras indústrias. Isso te surpreende?As pessoas precisam entender que o setor verde funciona da mesma maneira que os outros. Negócios são negócios e requerem profissionais como quaisquer outros. Um dos objetivos do Green Dream Jobs é ajudar profissionais na migração de empresas poluidoras para empresas limpas. Se olhar nas categorias do site, você vai encontrar administradores, contadores, pessoal de recursos humanos, relações públicas, propaganda e marketing, vendas. É claro que certas funções exigem mais especialização, como a construção de turbinas de vento. Mas engenheiros não precisam fazer cursos complicados porque já sabem o básico necessário.Quais serão as maiores mudanças a longo prazo?Teremos uma economia verde. Não haverá mais a construção de um edifício verde porque todos os edifícios serão assim. Estamos numa fase de transição e o início de qualquer indústria requer suporte do governo e subsídios. Os preços da energia eólica já competem com os de combustíveis fósseis. A energia solar está a apenas dois ou três anos disso. A geotérmica pode prover o suficiente para substituir a nuclear. Os EUA ainda gastam bilhões em subsídios para a indústria nuclear, petrolífera e do carvão. A indústria de tecnologias limpas não recebe nem um décimo disso. Até 2030, ela não precisará de subsídios. Já dará lucro e produzirá em massa.