Entre as influências negativas estão álcool e violência

- O Estado de S.Paulo

A pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos da Família e Comunidade da PUC-SP avaliou também os chamados déficits - influências negativas presentes na vida dos jovens que os deixam mais predispostos a comportamentos de risco.Mais de 75% dos adolescentes declararam participar de encontros para beber e 51% disseram que ficam muito tempo sozinhos em casa. Em terceiro lugar está sofrer abuso físico na família, com 29,1%, seguido por superexposição à TV, com 27,3%, e ser vítima de violência, com 20,7%.Entre os comportamentos de risco, destacam-se abuso de álcool (31,5%), sair de carro com alguém que bebeu (27,8%), cabular aula (63,7%) e manter relação sexual sem o uso de preservativo (29,3%).O consumo de drogas ilícitas teve um índice considerado pequeno (3%), enquanto o índice de depressão, 19,2%, foi considerado elevado.