Em SP, a 2ª maior diferença entre escola pública e privada

Renata Cafardo e Clarissa Thomé - O Estado de S.Paulo

Diferença de desempenho entre alunos dos dois perfis foi de 20,63 pontos

A diferença entre a nota dos alunos que estudaram em escola pública e em rede particular em São Paulo no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a segunda maior do País. A disparidade entre os desempenhos é de 20,63 pontos, numa escala de 0 a 100, na prova aplicada pelo Ministério da Educação (MEC) - as notas dos dois grupos foram 50,97 e 71,60, respectivamente. A diferença no Estado só é menor do que a registrada em Goiás (20,92). A média de disparidade no País foi de 18 pontos. O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse ontem que, apesar de a nota média dos alunos de escolas públicas ter sido 29% menor do que a dos estudantes de instituições particulares no País, essa "disparidade vem caindo" nas últimas edições do Enem. "O desempenho dos alunos do ensino público vem aumentando substancialmente. Se pegarmos o extrato superior da escola pública, a parcela dos alunos das escolas mais estruturadas, o desempenho desses alunos supera o das particulares." Os resultados do exame, que existe desde 1998, foram divulgados oficialmente ontem pelo governo. As notas gerais no País da prova objetiva subiram quase 15 pontos neste ano, se comparadas a 2006. A média de acertos foi de 51,52 ante 36,9 no ano passado. Foi o melhor desempenho dos alunos desde 2003. O resultado na parte de redação também melhorou, passando de 52,08 para 55,99. O Enem é uma prova voluntária, que pode ser realizada tanto por alunos que concluem o ensino médio neste ano quanto pelos que já o completaram. Há uma prova objetiva, com 63 questões, e a redação. O desempenho é usado para compor a nota em centenas de vestibulares e é essencial para participar do Programa Universidade para Todos (ProUni), que dá bolsas para alunos de escolas públicas em faculdades privadas. Em 2007, 2,7 milhões de jovens realizaram o Enem; 795 mil deles concluirão o ensino médio no fim do ano. Alunos de escolas particulares tradicionalmente se saem melhor na prova e, neste ano, aumentou a diferença com relação aos que cursaram escola pública. Na redação, os egressos da rede pública fizeram 55,26 pontos, enquanto os da rede privada, 62,26. Na parte de redação, não foi tão grande a diferença em São Paulo entre os dois grupos; foram 7,05 pontos a mais dos alunos da rede particular, número próximo ao registrado no País. Apesar da disparidade entre estudantes dos dois tipos de escolas, os paulistas também melhoraram suas notas no Enem neste ano. Em 2006, eles não tinham acertado nem 50% da prova e agora fizeram, em média, 54,25 pontos nas questões objetivas. Participaram do Enem 557.911 estudantes de escolas públicas paulistas e 109.956 das particulares. Por meio de nota, a secretaria do Estado da Educação informou que 69% dos jovens da faxia etária freqüentam o ensino médio paulista, contra uma média nacional de 47%. "Com tal número de alunos nas escolas, o desafio da qualidade precisa de esforço ainda maior", disse a nota. O Estado com maior pontuação dos estudantes foi o Rio Grande do Sul: 56,27 na prova objetiva.