Em Pisa, lei obriga a acender vela para santo

Fiona Winward, THE GUARDIAN - O Estado de S.Paulo

Há séculos, em 16 de junho, Pisa e a sua torre inclinada são iluminadas por velas, celebrando seu santo padroeiro, Ranieri. Mas ontem, pela primeira vez, a participação no festival Luminara foi compulsória. A polícia foi acionada pela prefeitura para multar em 500 (cerca de R$ 1,4 mil) qualquer um que não acendesse vela na janela. A prefeitura insiste que a lei é fundamental para evitar "buracos negros" que poderiam arruinar o efeito do festival, composto por 80 mil velas. "Esses buracos negros seriam uma ofensa à beleza da cidade", disse Federico Eligi, encarregado das festividades. "Há também a questão da segurança, já que o sistema de iluminação pública costuma ser desligado." Moradores ficaram furiosos, pois a lei exige que não cristãos participem. "Você não pode exigir que todo o mundo participe", disse Alfonso Maurizio Iacomo, chefe do Departamento de Filosofia e Literatura da Universidade de Pisa. Remo Bodei, também professor de Filosofia, discordou: "As comemorações não são mais um festival religioso, mas uma festa da cidade, e uma Luminara sem beleza não é digna."