Em MS, aluno travesti vai usar banheiro de professora

João Naves de Oliveira - O Estado de S.Paulo

Alunos travestis da rede estadual de Mato Grosso do Sul vão poder usar os sanitários das professoras. A medida foi adotada após movimentos gays denunciarem maus-tratos sofridos por menores que assumem a condição sexual e começa a vigorar na próxima semana. Segundo a superintendente de Políticas para Educação, Cheila Cristina Vendrami, "apesar de possuírem órgão sexual masculino, elas (travestis) se sentem femininas e, neste caso, o uso do banheiro masculino pode implicar risco para estes estudantes".A decisão teria validade a partir ontem, mas foi prorrogada por uma semana devido a uma polêmica sobre o uso compartilhado do banheiro com as alunas, como indicava o primeiro comunicado enviado aos professores pela secretaria. Após protestos, a secretaria afirmou que apenas o sanitário das professoras terá uso misto. O presidente da Federação dos Trabalhadores na Educação, Jaime Teixeira, foi um dos que protestaram. "Acredito que nenhum pai de aluna gostaria de saber que a filha divide o sanitário com os meninos na escola, mesmo se tratando de casos especiais", disse ele. O comunicado orienta ainda docentes e equipe escolar a "tratar o estudante que assume outra identidade social (caso mais comum é o da travesti) pelo nome feminino adotado, apesar de no registro oficial constar o nome masculino".A presidente de uma organização não-governamental que trabalha com direitos homossexuais, Cris Stefany, defende o encaminhamento da questão nas escolas públicas do Estado, lembrando que nos registros da entidade existem 20 pessoas que abandonaram os estudos no ano passado, devido aos constrangimentos sofridos.De acordo com Cheila Vendrami, a orientação surgiu depois da análise sobre os problemas apresentados pelos alunos enquadrados nessa condição sexual, e entrevistas com os dirigentes de movimentos gays em Mato Grosso do Sul. "O assunto é sério e será debatido na Conferência Estadual da Educação, a ser realizado no segundo trimestre deste ano em Campo Grande, visando a coleta de subsídios para a realização do mesmo encontro a nível nacional", diz.