'É uma declaração para mim e para todos os meus fãs', diz Vitão sobre novo single solo

Sofia Hermoso - Especial para o Estadão

A música 'Declaração' chega às plataformas digitais nesta quinta e marca o encerramento de um ciclo na vida do artista

Com o lançamento do single 'Declaração', Vitão encerra um ciclo importante de sua vida.

Com o lançamento do single 'Declaração', Vitão encerra um ciclo importante de sua vida. Foto: Cauê Tarnowski

A nova música de Vitão, Declaração, chega às plataformas digitais nesta quinta-feira, 5, já acompanhada de um clipe. A canção marca o fim de um ciclo na vida do cantor que, segundo ele, vem desde o início de sua carreira. Três anos após o single Café estourar nas paradas e torná-lo conhecido pelo Brasil afora, ele busca se redescobrir e se reinventar aos 22 anos de idade.

Apesar de ser uma letra escrita há alguns anos pelo artista, a música foi ressignificada. De uma canção inicialmente romântica feita para um grande amor passou a ter um significado mais amplo. Nas palavras dele: “É para se declarar para você mesmo, para a vida. Acho que é uma música que eu fiz para mim mesmo, porque fala muito dessas passagens dos últimos dois anos, onde eu estava passando por um momento muito doloroso”.

“Após os últimos anos e a onda de ódio que eu enfrentei na internet e da rasteira que tomei, vejo o single como o fechamento de um ciclo", diz Vitão, se referindo ao período em que namorou a cantora Luísa Sonza e teve de lidar com os ataques virtuais de haters. Em entrevista ao E+, o artista contou que até mesmo a aceitação de seu trabalho foi afetada e que atualmente faz menos shows do que costumava fazer antes da rejeição que sofreu no âmbito pessoal.

“Eu estava em um momento de ascendência e depois disso entrei em um período muito difícil que, além de abalar o meu psicológico, mexeu também com a minha carreira em questão de números e público”, comenta. Apesar dos obstáculos, ele afirma que não tem do que reclamar e que, mesmo em um cenário diferente do ideal, está feliz com o que tem voltado a conquistar.

Para ele, a mudança está intimamente ligada às reconstruções que tem buscado realizar interna e externamente. O momento tem sido de reflexão para Vitão, inclusive em relação a adquirir hábitos mais saudáveis tanto pessoalmente quanto profissionalmente, como, por exemplo, ser uma pessoa mais consciente de si mesmo e entender todas as suas funções como artista.

“Minha função como artista não é só fazer música, infelizmente. A gente cresce com esse ideal de que ser artista é cantar e fazer música, mas quando a gente alcança essa vida, é muito mais. Tem que ser empresário, ser uma pessoa pública com opiniões públicas, se comunicar com as pessoas, enfim, lidar com uma empresa que no caso é você mesmo”.

Após passar por um período conturbado de ódio na internet, o cantor Vitão tenta se reconectar consigo mesmo.

Após passar por um período conturbado de ódio na internet, o cantor Vitão tenta se reconectar consigo mesmo. Foto: Cauê Tarnowski

Apesar de ter escrito Declaração para a namorada da época — o que ainda não deixa de ser verdade — Vitão diz que hoje consegue enxergá-la de uma forma mais individual. “No trecho ‘meu coração é todo seu e é tão bom ter com que cantar’, por exemplo, percebi que os momentos mais terapêuticos da minha vida, em que eu me sinto melhor, são os momentos em que estou cantando e muitos deles sozinho. Eu e o violão”.

Com o encerramento de um ciclo, vem o início de outro. Ainda sem poder dar muitos spoilers sobre os próximos passos, o cantor afirma que já tem um novo projeto em vista. Como muitas mudanças estão sendo bem-vindas nessa nova fase, no âmbito profissional não seria diferente e, por isso, ele tem trabalhado com novos profissionais do meio artístico. “Trabalhar com novos produtores vai trazer mais pluralidade para a minha música. O novo projeto está indo para um lado meu que as pessoas ainda não conhecem, mas quem ouvir vai me reconhecer”.  

Eternamente grato aos fãs que não o abandonaram, Vitão afirma: “O novo single é uma declaração para mim e para todos os meus fãs que permaneceram junto comigo fielmente”. Agora, o artista segue em busca de recuperar a autoestima e ser mais gentil consigo mesmo. “Estou sentindo que a minha vida está amanhecendo nesse momento em que estou me reencontrando e me valorizando, olhando para mim e para minha carreira com muito foco e cuidado”, declara.

 

 

Além da música

Entre músicas e shows, Vitão tem se dedicado também à arte de dançar como uma de suas descobertas pessoais. Integrante do elenco da Dança dos Famosos, quadro do Domingão com Huck, o cantor se arrisca em uma área que não é sua especialidade. Até então, a experiência que tinha era com o hip-hop, que, segundo ele, foi essencial para ajudá-lo a criar consciência corporal.

Porém, sem nunca ter dançado ritmos diferentes com uma dupla, o artista considera a competição um presente e um grande curso de dança. “É um privilégio estar no programa. Só fizemos duas apresentações e já me sinto muito diferente, até para me soltar mais e ser mais confiante. Não estou me deixando abalar assim por qualquer timidez ou insegurança”, comenta.

Pela primeira vez participando de uma disputa na maior emissora aberta do Brasil, Vitão diz que já se sente vencedor porque a questão vai além dos outros participantes. “A minha competição é comigo mesmo e eu estou saindo vencedor dela todos os dias”.

Mesmo com tantos compromissos, o músico não deixa de se envolver em causas que considera importantes. Embaixador do Greenpeace, ele já esteve presente em atos a favor dos povos indígenas mais de uma vez, o mais recente durante o mês de abril, no 18º Acampamento Terra Livre, em Brasília.

 

 

Ele diz que o interesse pela causa vem desde pequeno, quando tinha aulas de história na escola e questionava o que era ensinado como colonização. Após ser convidado pelo Greenpeace para sobrevoar as áreas queimadas e desmatadas da Amazônia, se aproximou ainda mais do assunto. “Foi terrível, uma tristeza sem fim ver aquilo. E os indígenas ainda estão lutando para ter uma vida digna, um lugar para morar, para poder exercer a própria religião, a própria cultura. Isso é um absurdo nos dias de hoje”.

Depois de se envolver e conhecer de perto os indígenas presentes nos atos em que participou, Vitão passou a compreender a importância de seu papel e sua visibilidade como artista. “Me falaram que era muito importante eu estar ali e comunicar tudo o que está acontecendo, principalmente ao público jovem, que são as pessoas que têm poder de mudança. Mas além disso, como brasileiro, como ser humano acima de tudo, acredito que ninguém deveria estar lutando pela própria vida”, finaliza o cantor.