É só se levantar na hora certa

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

?Os assentos de cor cinza são de uso preferencial. Respeite este direito.? E não é que a mensagem do Metrô, emitida à exaustão em todos os vagões, pegou? Hoje, passageiros velhinhos, gestantes e deficientes físicos já encontram, com muito mais freqüência que antes, um banco vazio para acolhê-los. A bem-sucedida iniciativa da Companhia do Metropolitano, entretanto, acabou ganhando contornos extremistas. Gerou entre os usuários da rede, além do respeito, medo. Uma certa fobia do assento cinza. Tem gente que nem passa perto, tamanho o receio dos olhares furiosos dirigidos a quem ?ousa? botar o bundão no tal banco. Pouca gente sabe, mas ele é liberado também para passageiros ?comuns?. A placa que o identifica deixa claro: na ausência dos preferenciais, use à vontade. Por isso, não há transgressão alguma em se sentar no reservado. O problema é não levantar o traseiro quando alguém especial entra no vagão.