''E. coli'' resiste em 40% dos casos

Fabiane Leite - O Estado de S.Paulo

O infectologista Antônio Pignatari, especialista em resistência bacteriana da Universidade Federal de São Paulo, diz que a resistência da bactéria Escherichia coli, causadora de infecções urinárias, aos antibióticos da classe das quinolonas já ocorre em até 40% dos casos no Brasil, o que tem sido relacionado ao uso indiscriminado das drogas. "O perfil de resistência varia conforme a região". Para ele, no entanto, um maior controle sobre as prescrições ajudará no controle de eventuais eventos adversos das drogas, como alergias e problemas gastrointestinais (pois em tese haverá maior cuidado nas prescrições). "A resistência bacteriana é inexorável, mais importante e evitar eventos adversos", diz Pignatari, que destaca ainda a importância da fiscalização das vendas. "Temos farmacêuticos que são mais acadêmicos. E os donos de farmácia, muitos só querem é vender." Segundo pesquisa do Conselho Regional de Farmácia paulista, 68% das farmácias admitem já ter vendido drogas como antibióticos sem receita. E, em cerca de 32%, foi feita dispensação de produtos controlados por leigos, sem acompanhamento do farmacêutico.