Destaques da lei

- O Estado de S.Paulo

Matriz de energia: Exige que as geradoras de energia elétrica atendam a 20% de sua demanda por meio de fontes renováveis, como solar e eólica, até 2020Investimento verde: Define investimentos em novas tecnologias limpas e energias renováveis da ordem de US$ 90 bilhões até 2025; captura e sequestro de carbono (US$ 60 bi); veículos elétricos e de alta tecnologia (US$ 20 bi); pesquisa científica básica (US$ 20 bi) Racionalização: Estabelece padrões de economia de energia para edifícios e eletrodomésticos. Edifícios deverão ser 30% mais eficientes até 2012 e 50% até 2016Corte de CO2: Fixa a redução das emissões de carbono pelas principais fontes dos EUA em 17% até 2020 e 83% até 2050, tendo como base os níveis de 2005Redutor anual: A partir de 2012, a lei estabelece um limite anual de toneladas de carbono e outros gases-estufa para setores muito poluidores, como refinarias de petróleo. A lei cria um sistema de comércio de permissões para emitir carbono, que as empresas poderão negociar no mercadoCrédito: Setores podem poluir além do teto ao investir na redução do CO2 de outros setores ou na preservação de florestas tropicais