Descoberto novo receptor da aids no organismo

Lawrence K. Altman, The New York Times - O Estado de S.Paulo

Molécula conduz o vírus HIV para o intestino, de onde invasor lança ataque ao sistema imune de soropositivo

Cientistas americanos desvendaram uma forma específica pela qual o vírus da imunodeficiência humana (HIV) ataca as células, uma descoberta que abre caminhos para o desenvolvimento de novas terapias contra a aids. Foi identificado um novo receptor humano para o HIV, que ajuda a guiá-lo para o intestino assim que ele entra no organismo, de onde inicia seu ataque incansável ao sistema imune.As descobertas da equipe chefiada por Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, foram relatadas, no domingo, no site da revista Nature Immunology.Já faz anos que os cientistas sabem que o HIV invade rapidamente os nódulos e tecidos linfáticos, abundantes em todo o intestino. O órgão é o principal ponto de multiplicação do HIV - dali o vírus parte para privar o tecido linfático das células imunes CD4, que seriam fundamentais no contra-ataque ao HIV.Isso ocorre em todos os indivíduos infectados pela aids, tenham eles contraído o vírus por relação sexual, transfusão de sangue, contaminação por seringas ou agulhas, na passagem pelo canal vaginal no nascimento ou na ingestão de leite materno contaminado.AGENTE DUPLO"(As descobertas) começam a lançar luz no processo misterioso pelo qual o vírus se desenvolve preferencialmente no intestino", diz Walter Greene, especialista em aids e diretor do Instituto Gladstone de Virologia e Imunologia em São Francisco (que não trabalhou na pesquisa).Fauci, James Arthos, Claudia Cicala, Elena Martinelli e seus colegas mostraram que uma molécula, a integrin alfa-4 beta-7 - que direciona naturalmente células imunes para o intestino -, é também uma receptora de HIV. Uma proteína no envelope do vírus se prende a uma molécula na célula receptora - ligada especificamente à maneira como as células CD4 se dirigem ao intestino.A ligação do vírus à molécula integrin alfa-4 beta-7 estimula a ativação de outra molécula, LFA-1, crucial na propagação do vírus de uma célula para outra. As ações acabam levando à destruição do tecido linfático, em especial no intestino.São conhecidos vários outros receptores do HIV. O mais importante é o CD4 em certas células imunes; seu papel como receptor de HIV foi identificado em 1984. Outros dois receptores importantes, conhecidos como CCR5 e CXCR4, foram identificados em 1996.O CCR5 é um componente normal em células humanas e age como porta de entrada para o HIV. As pessoas que não o têm, em razão de alguma mutação genética, raramente são infectadas mesmo que fiquem repetidamente expostas ao HIV.Os cientistas têm procurado identificar receptores porque eles oferecem alvos para o desenvolvimento de novas classes de remédios. No ano passado, as autoridades reguladoras americanas autorizaram um tratamento que bloqueia o CCR5.Algumas drogas experimentais que neutralizam a molécula receptora integrin alfa-4 beta-7 estão sendo testadas para o tratamento de doenças auto-imunes em geral. Para Fauci, essas drogas deveriam ser estudadas também para a verificação de seu benefício no tratamento específico da aids.