Cuidados com a pele devem ser reforçados com o horário de verão

Jonathas Cotrim, especial para o Estadão - O Estado de S.Paulo

Alteração nos relógios a partir deste domingo provoca extensão do horário de exposição à radiação solar nociva

Praia de Ipanema, na zona sul do Rio, lotada de banhistas em dia de muito sol e calor . Foto: Wilton Junior/Estadão 

Praia de Ipanema, na zona sul do Rio, lotada de banhistas em dia de muito sol e calor . Foto: Wilton Junior/Estadão  Foto:

A partir da madrugada deste domingo, 15, até o dia 18 de fevereiro de 2018, dez estados brasileiros, além do Distrito Federal, devem adiantar os relógios em uma hora devido ao início do horário de verão. Com a mudança no horário, torna-se muito importante observar e reforçar os cuidados com a pele.

Além da aproximação do verão e do aumento da incidência de sol, a alteração nos relógios provoca uma mudança na exposição à radiação solar. “Existem dois tipo de radiação: A e B. A é aquela que vai do nascer até o pôr do sol. B é aquela que vem com sol a pino, entre as 10h e 15h. Com o horário de verão, esse horário fica mais prolongado, até às 16h”, explica Pedro Dantas, coordenador do departamento de oncologia cutânea da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Nesta época do ano, a exposição aos raios ultravioletas aumentam com a maior realização de atividades ao ar livre. Por isso, é necessário cuidado com esses raios, que são uma das principais causas provocadoras do câncer de pele.

Com essa extensão do horário de risco, é importante que se aumente os cuidados com a pele, que são necessários em todo o ano, independentemente da estação. “Vestimentas adequadas se tornam uma proteção, como uso de mangas compridas, chapéus com aba e óculos escuros, além de procurar se manter sempre na sombra. E, claro, sempre usar o protetor solar. A recomendação é de que seja pelo menos o fator 30, com a necessidade de reaplicar ao longo do dia, a cada duas horas e pelo menos 15 minutos antes de se expor ao sol”, explica o dermatologista.

Uma dica simples a se observar para evitar o horário de maior incidência dos raios solares nocivos é olhar a própria sombra. Se a própria sombra for menor do que a altura da pessoa, significa que o sol está a pino e não é muito saudável estar exposto a ele. Se estiver maior que a altura, é porque o sol está mais ameno. Mas isso não reduz a necessidade do uso de protetor solar.