Cresce o nº de matrículas em creche e ensino profissional

Lisandra Paraguassú, BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo

Duas áreas normalmente negligenciadas na educação brasileira foram as que mostraram maior crescimento no Censo Escolar de 2008. O número de alunos matriculados na educação profissional subiu 14,7% na comparação com 2007. Já as matrículas de crianças em creches aumentaram 10,9%. Em números absolutos, o crescimento da educação profissional de ensino médio foi de 101.849 matrículas em um universo de 8,4 milhões de jovens que cursam essa etapa. Mas, em alguns Estados, as matrículas dobraram ou quase isso. No Acre, subiram 107,7%, Tocantins, 78,7% e Distrito Federal, 86,8%. O aumento se deu basicamente nas redes estaduais de ensino. Apesar dos investimentos feitos pelo Ministério da Educação para criação de novas escolas federais de ensino técnico, a maior parte delas ainda não está funcionando totalmente. "Acredito que esse crescimento se deve a uma compreensão da necessidade de oferecer uma oportunidade profissional ao jovem o mais cedo possível", disse o ministro da Educação, Fernando Haddad. "Apenas nos cursos técnicos vinculados ao ensino médio a matrícula subiu 20%." Nas creches, a explicação para o crescimento foi a inclusão, nos últimos três anos, das escolas no Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica, tanto das unidades públicas como das conveniadas (fundações e outras instituições que oferecem atendimento gratuito). Os maiores aumentos foram no Distrito Federal (43,1%) e no Pará (30,6%). Em São Paulo, as matrículas de crianças de 0 a 3 anos subiram 18,8%, chegando a 486,7 mil.No ensino fundamental, que concentra 32 milhões dos 53,2 milhões de matrículas da educação básica, praticamente não houve alteração, com uma queda de 35,3 mil alunos. Já o ensino médio, mais uma vez, não se mexeu. Apesar de o atendimento de jovens de 15 a 17 anos estar estacionado em 82% da população, esse nível de ensino continua estagnado. Teve uma leva queda, de 3,3 mil matrículas entre 2007 e 2008.