Controle sanitário é foco de tensão comercial

- O Estado de S.Paulo

A qualidade dos alimentos também vem se tornando um importante tema político nos debates internacionais e afetando as relações diplomáticas e comerciais entre países. No mercado europeu, por exemplo, vários produtos brasileiros não são autorizados para comercialização porque a União Européia afirma que falta um controle mais rígido no Brasil, já que nem sempre é feito o rastreamento de parâmetros e processos pelos quais são produzidos. Controles cada vez mais rígidos da produção estão exigindo que as autoridades de Bruxelas estabeleçam regras para os países estrangeiros que queiram exportar alimentos ao mercado europeu. Uma série de produtos brasileiros já foi colocada em listas negras. É o caso do mel produzido no País, além de ovos, leite e algumas carnes, por exemplo. No ano passado, os europeus passaram a exigir novos controles sanitários para a comercialização do peixe brasileiro. O Itamaraty e o Ministério da Agricultura chegaram a alertar que não aceitariam medidas de restrição que não estivessem baseadas em provas científicas. Mas tiveram de acabar acatando as exigências.