Comunidades caçam focos do mosquito

Felipe Werneck, Rio - O Estado de S.Paulo

Três mil voluntários fazem pente-fino na região metropolitana do Rio

Um mutirão realizado pela Secretaria de Governo em 96 comunidades da região metropolitana do Rio identificou e extinguiu 3.254 focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Cerca de 3 mil voluntários visitaram 22.638 residências - 15.930 na capital, 4.775 na Baixada Fluminense e 1.933 na região de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, na manhã de sábado.Durante a ação, foram instaladas 7.378 coberturas para caixas d''água - o material foi cedido pelo Corpo de Bombeiros. Sete caminhões foram usados para recolher lixo e entulho, que encheram 902 sacos com capacidade para cem litros. Durante o percurso, foram distribuídos 220 mil panfletos informativos com dicas sobre as formas de prevenção e de combate aos focos do mosquito.BRIGADAS PERMANENTESO objetivo da secretaria é instituir brigadas permanentes de combate à dengue para que futuras operações sejam realizadas sob o comando de líderes comunitários locais."Conseguimos a adesão maciça das comunidades visitadas, e o papel principal desse esforço conjunto foi alcançado: a criação das brigadas permanentes de combate aos focos do mosquito em cada uma dessas comunidades. Só o trabalho em parceria poderá ajudar o Rio a vencer essa luta contra o mosquito", disse Eduardo Damian, coordenador do mutirão.A ação de sábado foi a segunda realizada na região metropolitana. No domingo da semana passada, dia 6, foram vistoriados cerca de 20 mil imóveis em 72 comunidades. Na ocasião, foram identificados cerca de 900 focos do mosquito, distribuídas 4 mil coberturas para caixas d''água e recolhidos mil sacos de lixo.Pelas contas da Secretaria de Estado da Saúde do Rio, a epidemia já tinha 75.399 casos contabilizados no Estado este ano até quinta-feira, com 80 mortes confirmadas (47 na capital), e mais 79 casos de óbitos em investigação sob suspeita de dengue. Mas a prefeitura do Rio já registrava 50 mortes na noite de sexta-feira, o que aumenta o número oficial de casos fatais no Estado para 83. Até quinta-feira, 35 crianças até quinze anos tinham morrido de dengue este ano, de acordo com o relatório do Estado.