Clínica em São Paulo continuará funcionando

Fabiane Leite - O Estado de S.Paulo

Mesmo com o especialista Roger Abdelmassih preso e com o registro de médico interditado desde a última terça-feira, sua clínica em São Paulo continuava a marcar consultas com o profissional, ontem.Questionada se os problemas judiciais não atrapalhariam uma eventual consulta, uma atendente explicou apenas que havia impedimento para o atendimento nesta semana, mas não na próxima, e marcou horário para a reportagem.Segundo o advogado de Abdelmassih no conselho de medicina, Flávio Yarshell, o médico não foi comunicado da interdição de seu registro. "Não sei se é ele o único médico, mas ele não foi comunicado de nenhuma decisão e, se vier a ser libertado, como se espera em princípio, ele pode exercer a profissão", afirmou o defensor. "Se for comunicado, aí sem dúvida o exercício seria ilegal, mas no momento só vejo impossibilidade prática, pela ausência da liberdade, mas não jurídica", complementou.O site da clínica de Roger Abdelmassih informa que, além do próprio médico, outros dez especialistas atuam no local.MANIPULAÇÃO DE ÓVULOSO presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana, Waldemar Naves do Amaral, disse ontem que o uso de material de óvulos de mulheres mais novas para auxiliar mulheres mais velhas a engravidar é uma prática "científica". O Ministério Público solicitou abertura de investigação sobre o suposto uso do procedimento por Abdelmassih em pacientes. "Ela é uma técnica científica, pouco utilizada por não trazer muitos resultados de excelência, mas, se alguém quiser, pode utilizá-la", defendeu Amaral. A área não conta com legislação que abranja a prática, explicou ainda o especialista.F.L.