Cientistas veem uma galáxia engolindo outra

Carlos Orsi - O Estado de S.Paulo

Aos poucos, Andrômeda, análoga à Via-Láctea, absorve Triângulo

Galáxias crescem devorando irmãs menores. A ideia, uma das principais explicações teóricas para a evolução dos grandes discos de estrelas, ganhou reforço com a descoberta de que a galáxia do Triângulo, ou M33, está sendo devorada por Andrômeda (M31), a grande galáxia mais próxima e uma das mais semelhantes à Via-Láctea. Os sinais dessa deglutição cósmica são descritos na revista Nature.

A Via-Láctea já havia sido flagrada engolindo um de seus satélites, a galáxia anã de Sagitário. As novas observações de Andrômeda são valiosas porque oferecem um ponto de vista externo do processo de assimilação e revelam uma série de sinais de que crescer engolindo os vizinhos é parte do desenvolvimento de uma galáxia.

Alan McConnachie, do Instituto Herzberg de Astrofísica, no Canadá, e um dos autores do trabalho, diz que não é possível saber a que velocidade as galáxias pequenas são destruídas. Ele diz que esse dado deve surgir ao longo do mesmo programa, a Pesquisa Arqueológica Pan-Andrômeda (ou Pandas), realizada com o telescópio franco-canadense do Havaí (CFHT). A teoria atual propõe que galáxias surgem no interior de grandes casulos de matéria escura, uma misteriosa substância invisível, cuja existência é deduzida a partir dos efeitos gravitacionais que produz. A fusão dos casulos levaria ao crescimento das galáxias.

As observações do Pandas indicam que Triângulo passou próximo à Andrômeda há cerca de 3 bilhões de anos e que os efeitos gravitacionais começaram a distorcê-la e a fazer com que perdesse estrelas. Hoje, a M33 é cercada por uma aura de estrelas desgarradas, provavelmente arrancadas de seu disco pela atração da M31. A cada passagem por Andrômeda em sua órbita, Triângulo perderá estrelas e energia, até mergulhar de vez em Andrômeda. "De acordo com nossos modelos, isso (a colisão entre Triângulo e Andrômeda) ocorrerá, provavelmente, ao longo dos próximos 2 bilhões a 5 bilhões de anos", diz McConnachie.