Cientistas testam vacina inalável contra HIV

EFE - O Estado de S.Paulo

Um grupo internacional de pesquisadores deu novos passos para o desenvolvimento de uma vacina contra o vírus da aids ao desenvolver um remédio que pode ser administrado por via respiratória, com o uso de aerossol.O trabalho, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), revela que a nova forma de administração - testada em macacos e humanos em fase clínica inicial com resultados positivos - utiliza antígenos modificados do HIV (vírus da aids), uma substância que proporciona a formação de anticorpos.De acordo com o Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha, os antígenos são utilizados para ativar uma resposta celular contra o vírus. O trabalho se soma a dois anteriores em que os pesquisadores utilizaram como vetores duas versões modificadas do vírus vacinal, MVA e NYVAC.Ambas versões expressam quatro antígenos modificados do HIV e foram administradas junto com o DNA que expressa os mesmos antígenos. Durante o primeiro dos ensaios, feitos com antígenos do HIV e SIV - o vírus da imunodeficiência em macacos -, os cientistas comprovaram que os vetores induziam a forte resposta celular e que ativavam linfócitos fundamentais na defesa do organismo. Os resultados do segundo ensaio, de que participaram 40 pessoas, mostraram que 90% dos vacinados tiveram uma resposta positiva aos antígenos do HIV. A reação se manteve no mínimo por 72 semanas.Os cientistas garantem que a administração da vacina por via respiratória é segura. Também poderia ser usada por países em desenvolvimento por dispensar materiais sanitários necessários para outros tipos de vacina.