Cientistas estudam dino com pele fossilizada

REUTERS - O Estado de S.Paulo

Hadrossauro localizado quase completo nos EUA exibe forte marcação de escamas

Um hadrossauro parcialmente mumificado e descoberto por um adolescente de Dakota do Norte (EUA) pode ser o dinossauro mais completo já encontrado, com a pele intacta mostrando estrias na superfície e o que parece ser tecido mole, afirmaram ontem pesquisadores.Uma porção suficiente do animal continua intacta para provar que o hadrossauro corria velozmente e era mais musculoso do que os cientistas acreditavam. "Isso é mais ou menos como uma fusão do faraó Tut como T. Rex", afirmou o paleontólogo Phil Manning, da Universidade de Manchester (Grã-Bretanha).O dinossauro está fossilizado - sua pele e seus ossos transformaram-se em pedra. Mas, ao contrário da maior parte dos fósseis de dinossauro, preservaram-se os tecidos também. Isso incluiu uma grande parte da pele no animal, que mostra claramente a marcação de escamas. "A sensação não é de pele real. Trata-se de uma pele fossilizada", afirmou Manning. "Mas, quando se passa a mão sobre a pele do dinossauro, isso é o mais perto que se chegará de tocar um dinossauro de verdade." O restos do hadrossauro, batizado de Dakota, foram encontrados em 2000 por Tyler Lyson, então com 17 anos de idade, no rancho de seu tio. O hadrossauro, um animal herbívoro que caminhava apoiado sobre duas patas, viveu 67 milhões de anos atrás, durante o período Cretáceo. A National Geographic Society ajudou a pagar pela expedição e levará ao ar um programa de TV sobre o trabalho da equipe. Manning fez com que seu grupo retirasse o animal monstruoso de maneira quase intacta. Apenas a causa saiu dentro de um bloco em separado. O fóssil pesava perto de 4.500 quilos. Os pesquisadores conseguiram convencer a Boeing e a Nasa a usar nos trabalhos um enorme aparelho de tomografia computadorizada, existente na Califórnia e geralmente utilizado para escanear pedaços de ônibus espaciais.