Cientistas desenvolvem células-tronco sem oncogene

EFE - O Estado de S.Paulo

A equipe de cientistas japoneses que desenvolveu, com o uso de pele humana, um protótipo de célula semelhante às células-tronco embrionárias, demonstrou agora que é capaz de reprogramar as células sem necessidade de nenhum oncogene suscetível de desenvolver um tumor.De forma simultânea, mas independente, dois grupos de pesquisadores, um da Universidade de Kyoto e outro da de Wisconsin, conseguiram criar uma linhagem de células-tronco embrionárias a partir de fibroblastos da pele humana, o que acaba com os problemas éticos da utilização de embriões ou óvulos.A equipe japonesa, dirigida por Shinya Yamanaka, conseguiu criar uma linhagem de células-tronco a partir de 5 mil células da pele, o que representa uma maior eficiência que a equipe americana, que precisou de 10 mil.No entanto, os cientistas liderados por James Thomson não utilizaram nenhum oncogene em seu grupo de quatro genes reprogramadores, enquanto os japoneses usaram o oncogene Myc, suscetível de desenvolver um tumor.Segundo um artigo publicado ontem na revista científica britânica Nature, a equipe da Universidade de Tóquio conseguiu eliminar de seu grupo de genes reguladores da transcrição o oncogene Myc. Sem a necessidade do oncogene, os cientistas conseguiram obter um modelo de célula com propriedades regenerativas capaz de criar tecidos de cerca de 220 tipos celulares diferentes do ser humano: a célula-tronco pluripotencial induzida (iPS, em inglês).Para determinar até que ponto a ausência do Myc reduz a propensão a tumores, os autores injetaram células iPS com e sem o oncogene em ratos. Nenhum dos 26 animais com células iPS sem o oncogene Myc morreu por causa de câncer após cem dias, enquanto 6 dos 37 que receberam as células com o oncogene faleceram.EFE