Cidades históricas tentam driblar crise

- O Estado de S.Paulo

Em Ouro Preto, orçamento da Semana Santa foi cortado em cerca de 40%

A crise que impacta a arrecadação dos municípios obrigou algumas das principais cidades históricas de Minas a buscar alternativas para manter a comemoração da Semana Santa. Pela primeira vez, São João del Rei, Prados e Tiradentes terão programação cultural unificada. Em Ouro Preto, os tapetes de serragem que decoram ruas serão tingidos com produto mais barato.O aperto financeiro das prefeituras decorre principalmente da queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios, por causa da redução das receitas da União. Embora boa parte das comemorações seja de responsabilidade das paróquias, o Executivo municipal dá estrutura para eventos, apoio e divulgação. Em São João del Rei, o orçamento para a Semana Santa caiu de R$ 75 mil para R$ 25 mil, diz Ralph Justino, secretário de Cultura e Turismo. A saída foi iniciar um trabalho de turismo regional. Materiais de divulgação e a programação foram elaborados em conjunto. A ideia é que os cerca de 30 mil turistas possam aproveitar diversas atrações nas cidades, distantes cerca de 20 quilômetros uma das outras.A parceria proporcionou novidades. A Maria Fumaça, que liga São João del Rei a Tiradentes, terá pela primeira vez um passeio noturno, no sábado. Na estação de São João del Rei será montado um espaço gourmet. Além da programação religiosa, haverá show em São João del Rei e Prados.Principal cidade da região, São João del Rei vai oferecer tradições como o toque dos sinos e as músicas em latim na Catedral do Pilar.Um dos pontos marcantes é a descida da cruz, na sexta-feira, na escadaria da Igreja de Nossa Senhora das Mercês. Depois há a procissão do enterro.Em Ouro Preto, a Semana Santa tem como ponto alto a confecção dos tapetes que enfeitam o trecho do centro histórico por onde passa a procissão.Segundo o secretário de Turismo, Gleiser Boroni, o orçamento para a celebração precisou ser reduzido em cerca de 40%. No ano passado, os gastos ficaram em cerca de R$ 100 mil. Mas Boroni diz que nenhuma solenidade será suspensa.