Centros em SP facilitam acesso à psicoterapia

- O Estado de S.Paulo

Serviços não têm fila e oferecem também atendimento individual

Sem fila de espera, com oferta de profissionais preparados e que oferecem também o tratamento individual - raridade no serviço público -, centros de São Paulo estão com as portas abertas para interessados em fazer psicoterapia com preços mais acessíveis ou até mesmo de graça, dependendo das dificuldades financeiras de quem precisar de ajuda. Além disso, não há limitação do número de consultas, como ocorre com as ofertadas por planos de saúde - 12 ao ano - e a troca comum de profissionais que ocorre em alguns serviços sociais de faculdades de Psicologia, obrigadas sempre a abrir espaço a novos alunos que necessitam aprender com os pacientes."Trata-se de um serviço de alta qualidade e sem fila de espera", resume Ernesto Duvidovich, um dos diretores do Centro de Estudos Psicanalíticos (CEP), na zona oeste da capital paulista. O CEP oferece atendimento acessível há 28 anos, com o objetivo de combater a elitização da psicanálise. O centro tem atendido todos os tipos de pacientes, entre os quais moradores de rua. São cerca de 900 atendimentos por ano, realizados por uma rede de 83 alunos, ex-alunos e analistas formados fora da instituição. Após uma entrevista, gratuita, o interessado é encaminhado ao profissional mais adequado. O serviço leva em consideração a proximidade do consultório em relação à casa do paciente.Duvidovich reforça que a troca de profissional só ocorre se "não for feliz" o encontro entre o terapeuta e o interessado. Há retaguarda de psiquiatras, único profissional que pode receitar remédios, se necessário. Também a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP) oferta consultas mais acessíveis, até quatro por semana, a um custo máximo de R$ 400 mensais - valor que alguns psicanalistas cobram por uma consulta por semana. "Só gosto de deixar claro que a psicanálise não é algo rápido, mas intenso e profundo", destaca Oswaldo Ferreira Leite Netto, diretor do atendimento à comunidade da sociedade. O Instituto Sedes Sapientiae, cuja clínica de atendimento social começou a atender nos anos 40, oferece outros tipos de psicoterapia, além da psicanálise, como arterapia e psicodrama, a no máximo R$ 80 a consulta - valor mínimo da tabela dos psicólogos.Após uma mudança frustrada para outro Estado, a empresária Angelina Halpern, de 55 anos, voltou arrasada para São Paulo e sem dinheiro para mais nada a não ser garantir a sobrevivência na capital. Recebeu a sugestão de uma amiga de buscar o CEP. Angelina resume o tratamento: "é tudo de bom".FABIANE LEITEMais informações: CEP 0xx11 3676-1513; SBPSP 11 3661-9822; Instituto Sedes Sapientiae 11 3866-2735