Catapora mata 2 crianças em SP

Ricardo Westin - O Estado de S.Paulo

Ministério Público quer vacinas para habitantes de Santa Isabel

No mês passado, duas crianças de 7 anos morreram de catapora em Santa Isabel, cidade de 48 mil habitantes localizada a 45 km de São Paulo. Um surto da doença atinge a cidade desde setembro. Há 166 casos notificados. A prefeitura, porém, acredita que o número seja maior, em razão de pessoas que se tratam sem procurar ajuda médica.O Ministério Público Federal entrou na Justiça ontem com uma ação civil pública pedindo que o Ministério da Saúde vacine a população com idade entre 6 e 15 anos. A vacina contra a catapora (varicela) não faz parte do calendário oficial de vacinação. Havendo surtos, porém, o governo fornece a droga, mas apenas para imunizar crianças de 1 a 5 anos de idade. Foi o que ocorreu recentemente na cidade.O Ministério Público acredita que 5 mil doses sejam suficientes para conter o problema entre as crianças mais velhas da cidade. Na ação, pede que o Ministério da Saúde pague uma multa de R$ 60 mil se não enviar as vacinas. "Não é constitucional que se admitam o surto, a epidemia e a morte sob o argumento de que a realização de uma vacinação não consta do calendário do SUS (Sistema Único de Saúde)", argumentou o procurador Matheus Baraldi Magnani. Por nota, o Ministério da Saúde explicou que está "acompanhando e analisando a situação para que as medidas sejam adotadas de forma oportuna e adequada".A catapora é uma doença infecciosa que tem como principal sintoma pequenas bolhas pelo corpo, que aparecem até duas semanas depois do contágio. Antes disso, o sinais são febre e dores no corpo. A catapora só deixa de ser contagiosa quando a última bolha é cicatrizada. Mata quando o doente tem problemas de imunidade. A vacina pode ser tomada até 72 horas depois do contato com alguém doente. Na rede particular, custa cerca de R$ 120.