Casos de gripe suína sobem para 52 no Brasil

João Domingos - O Estado de S.Paulo

Ministério diz que manterá medidas de prevenção e controle já adotadas

A ministra interina da Saúde, Márcia Bassit, informou ontem, logo após o anúncio de pandemia feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que a gripe suína no Brasil "está absolutamente sob controle" e que a transmissão do vírus influenza A(H1N1) no País permanece limitada e sem sustentabilidade. Márcia informou que os casos confirmados passaram de 43 para 52, dos quais 39 foram contraídos em outros países. Segundo ela, a orientação é para que a vigilância continue da mesma forma que vinha sendo realizada desde abril, quando a doença foi anunciada. Já a diretora do Programa de Epidemias e Pandemias de gripe da OMS, Sylvie Briand, disse ontem, em Genebra, que o Brasil caminha para ter um surto local de gripe suína. Ela reforça que o número de casos ainda não é suficiente para se dizer que o vírus está instalado no País, mas alerta que "isso pode ser uma questão de tempo". De acordo com Sylvie, o vírus, que nos países ricos é suave, pode representar um novo risco para populações e serviços de saúde dos países mais pobres. "Em vários países, somente temos como ver se o surto está ocorrendo, ou seja, que o vírus está instalado, depois que a gripe atinge um determinado número de pessoas e que os sistemas de monitoramento passam a identificá-las", afirmou. Para a ministra interina brasileira, o governo já havia antecipado todas as medidas recomendadas pela OMS e, por isso, o fato de a organização ter elevado a doença à categoria de pandemia não muda a situação aqui. "O governo brasileiro continua atento para a vigilância, a elaboração de diagnósticos e o tratamento da doença. Continuamos vigilantes em portos, aeroportos e na fronteira. Continuamos monitorando as pessoas que tiveram contato com outros com a doença. As ações se mostraram eficazes e vão ser mantidas", disse Márcia. A ministra interina afirmou ainda que o fato de a letalidade da doença ser de 0,5% não diminui a responsabilidade das autoridades no controle e vigilância. Ela acrescentou que as autoridades do Ministério da Saúde vêm trabalhando em conjunto com as secretarias estaduais e municipais. "A situação está totalmente sob controle. Temos 52 casos confirmados. Desses, 75% foram importados de outros países. A maioria dos pacientes, depois de tratada, já voltou para casa e está bem. A população continua sendo orientada a procurar a unidade de saúde mais próxima quando sente sintoma. Lá, o paciente é avaliado e será encaminhado, caso necessário, para um dos 53 hospitais de referência", afirmou. São Paulo é o Estado com maior número de casos confirmados de gripe suína - 20. Em seguida vêm Rio e Santa Catarina, cada um com dez registros. Os nove pacientes com casos confirmados ontem estão em tratamento. Até o dia 1º, o Brasil tinha 20 casos confirmados. O ministério informou ainda que são 192 núcleos de Vigilância Epidemiológica no País e 900 leitos reservados para casos graves de gripe suína. Há, segundo a pasta, 9 milhões de kits de tratamento em estoque. O ministério colocou o Disque-Saúde (0800-61-1997) à disposição de quem queira tirar dúvidas sobre a doença.