Camila Finn, de 15 anos, top model

- O Estado de S.Paulo

"Desde os 13 anos, moro em Nova York com meu pai. Essa é minha base. Mas viajo constantemente para Paris, Milão e Tóquio. Sempre fui muito tímida, mas tenho melhorado. Por ser envergonhada, acabo passando uma imagem de antipática. Meus pais dizem que estou mais solta. Para me ajudar nisso, tenho feito aula de teatro. Ainda sinto dificuldade de me defender e acabo precisando da ajuda do meu pai. Hoje já consigo demonstrar, ao menos, insatisfação com alguma atitude grosseira. Um dia fui fazer umas fotos, o fotógrafo não quis deixar meu pai acompanhar as sessões e fez um comentário supermaldoso na minha frente. Mas fiz uma cara tão feia que ele percebeu e maneirou. Antes, tinha medo das modelos russas, conhecidas por provocarem as brasileiras por causa da rivalidade que existe nesse mundo. Durante os testes, elas nos empurram e passam na frente. Agora aprendi a não me intimidar tanto com elas, ignoro as brincadeirinhas e não as deixo mais furar a fila para pegar o meu lugar."