Calota polar no Ártico está mais fina e 70% de seu gelo derrete no verão

AFP - O Estado de S.Paulo

O gelo no Ártico está batendo um recorde negativo: está mais fino do que nunca - pelo menos desde 1979, quando começou a ser medido por satélite. Já sua extensão é a quinta mais baixa no período. As afirmações são do Centro Nacional de Dados sobre a Neve e o Gelo (NSIDC) dos Estados Unidos. Segundo pesquisa divulgada ontem, atualmente 70% do gelo da calota polar no Ártico é sazonal, ou seja, derrete durante o verão. Nas décadas de 1980 e 1990, essa proporção variava de 40% a 50%.Os blocos de gelo considerados mais grossos (a partir de 2,74 metros), que sobrevivem por pelo menos dois verões, representam apenas 10% de todo o gelo de inverno, o que indica que houve uma redução entre 30% e 40% de sua ocorrência. Até 2007 era difícil medir a grossura da calota polar, que era estimada pela idade do gelo. No ano passado, uma equipe do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa fez um mapa em três dimensões do Ártico, o que permitiu medidas mais precisas. Usando os dados de satélite, no final de fevereiro a calota do Ártico media 15,2 milhões de km², 720 mil km² a menos que a superfície invernal entre 1979 e 2000.