Bispo britânico se recusa a fazer retratação pública

AFP - O Estado de S.Paulo

O bispo Richard Williamson, de 68 anos, que afirmou não acreditar na existência das câmaras de gás e nos campos de concentração nazista, continua se negando a fazer uma retratação pública sobre suas declarações, mesmo após uma exigência do Vaticano na semana passada. Williamson, cujas afirmações provocaram indignação em todo o mundo e especialmente na Alemanha, disse que antes de fazer qualquer retratação ou pedido de desculpas precisaria analisar provas históricas da existência do holocausto. "Se encontro provas, então me retificarei", afirmou ele. "Mas tudo isso levará tempo", completou. O Vaticano, que recentemente cancelou a excomunhão dele e de três outros bispos ligados ao tradicionalista Marcel Lefebvre, havia divulgado no início da semana que Williamson deveria se retratar de "maneira inequívoca e pública". Segundo a nota, "a atitude de Williamson sobre o Holocausto é absolutamente inaceitável e firmemente rejeitada pelo papa. O bispo, para ser admitido nas funções episcopais da Igreja, terá de se retratar". Além disso, ele e os outros três bispos devem aceitar o Concílio Vaticano 2º, rejeitado pela Fraternidade Sacerdotal de São Pio X, fundada por Lefebvre.