Arte nos pés

Virna Wulkan - O Estado de S.Paulo

Designers de sapatos fazem trabalhos únicos e ousados, a partir de materiais e referências diversas

Étnico com atitude

Libanesa radicada no Brasil, Raouda Assef traz de sua origem muitos dos elementos que compõem suas peças, como o uso de cores - uma vez que "o árabe sempre morou no deserto, que é monocromático e, portanto, abusa das cores para deixar a vida mais alegre" - e de materiais como a tapeçaria síria, que está no sapato da foto. Raouda acredita que "cada par tem uma vibração". E acrescenta: "com um sapato marcante, a pessoa passa a ter outra atitude, sendo notada de outra forma."

Foi seguindo esse conceito que fez sua grife crescer. Hoje, seus produtos são vendidos no Brasil e em mais de 70 lojas no exterior, em países como Estados Unidos, Inglaterra, Dubai e Japão.

Puro glamour!

Quando se fala em design de sapatos, Christian Louboutin é referência certa. Seu estilo arrojado e sexy pode ser facilmente reconhecido, tanto pelas criações exuberantes - com uso de materiais diferenciados, como plumas, tachas, cristais e franjas - quanto pela sua marca pessoal, o solado vermelho. Para Louboutin, a cor significa paixão e o sapato faz com que "a mulher exale uma luz vermelha quando anda, despertando sentimentos". Não é à toa que ele é um dos preferidos das celebridades. A grife, que vende seus sapatos em 46 países, inaugura sua primeira loja no Brasil, no shopping Iguatemi, com peças que devem custar entre R$ 2.500,00 e R$ 4.000,00.

Para inglês ver

É diretamente de Londres que o casal Jeferson e Vanessa Dib comanda a grife TMLS, ou "timeless", que, na concepção dos donos, significa "atemporal". Em um ateliê na cidade mais criativa do mundo quando se trata de moda, os dois desenvolvem peças que vão abastecer magazines do porte da Top Shop, Harrolds e Selfridges, e que chegam simultaneamente à loja em São Paulo.

Ainda assim, o produto é inteiramente made in Brazil, produzido em uma fábrica no sul do País. Todo mês chegam novos modelos, e o forte são os sapatos com shapes elaborados, quase sempre com saltos altíssimos, de plataforma ou meia pata.

Escultura assinada

A Ferri resolveu inovar, convidando um artista para assinar uma linha de sapatos. O escolhido foi o pintor, escultor e ceramista pernambucano Francisco Brennand. De sua obra, marcada pelas formas arredondadas, com especial predileção pelo formato do ovo e dos casulos, foram tirados os desenhos que compõem as peças. A cartela de cores se baseou nos tons de cerâmica e nos trabalhos de pintura do artista. O resultado são peças graciosas, simples nas formas, mas elaboradas no conceito, bem de acordo com a obra de Brennand.

Espírito lúdico

Sylvie Quartara tem o seu método próprio de criar os sapatos: começa pela elaboração dos saltos. Podem conter elementos inusitados, como os formados por dados e chapas de acrílico (foto), ou podem ser trabalhados por artesãos em marchetaria - com peças de madeira cortadas e pintadas uma a uma, até formarem saltos delicados e exclusivos.

Outra característica de seu trabalho é o uso de materiais originais, como papel de jornal, folhas de bananeira, sementes de jupati e palha de café, manuseados artesanalmente até chegar ao produto final. "Nosso trabalho consiste em mostrar aos clientes que temos um produto diferenciado."

Background poderoso

Francesca Giobbi trabalhou para marcas como Prada, Armani e Sergio Rossi. Foi com esses mestres que aprendeu a arte da confecção de sapatos. Até que resolveu abrir sua própria grife, para unir "o know how italiano à bossa brasileira." Para ela, o segredo de uma peça confortável e durável está na sua construção: modelagem e forma bem feitas. A partir daí, podem ser criados ilimitados desenhos de saltos e de cabedais, com materiais e acabamentos diversos. Assim é a grife que leva seu nome, com sapatos ornamentados, de formatos quase arquitetônicos, coloridos e cheios de estilo.

Agora Francesca investe também em uma marca nova, a Isla Castilla.

Inspiração nas crenças

Paula Ferber foi chegando aos poucos ao mercado de moda e, hoje, é nome de peso quando se fala em design de sapatos. Sua primeira loja foi aberta em Trancoso, na Bahia, onde montava pares customizados, ao gosto do cliente. Ela tem ligações afetivas fortes com o lugar, e é de lá que vem grande parte da inspiração para seu trabalho e as referências para a nova coleção, com elementos trazidos dos mitos e crendices populares, como os saltos em forma de figas e de trevo, ou as meia-patas com formato de ferradura. Entre os materiais usados, a preferência é para aqueles que têm texturas, como os couros de peixes, de cobra e de pata de avestruz. Se a concepção parece simples, o produto final é bem sofisticado e exclusivo.