Apreendidas mais de 20 t de fitoterápicos irregulares

EVANDRO FADEL - O Estado de S.Paulo

Em operação conjunta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Vigilância em Saúde do Paraná, Polícia Federal e Polícia Civil, foram apreendidas, anteontem, cerca de 20 toneladas de fitoterápicos (feitos a partir de plantas) irregulares em Mandaguari (PR). No dia anterior, tinham sido apreendidas outras 2 toneladas em Maringá. Foram presas cinco pessoas.As investigações, iniciadas há três anos, resultaram em outras apreensões, mas a de Mandaguari foi a maior. Ali foram interditadas três empresas dos mesmos donos. Segundo a Anvisa, a Nutrilight e a Nutrivida estavam irregulares, enquanto a Nutriervas só era autorizada a fabricar alimentos, mas nela foram achados medicamentos sem registro.Segundo o chefe da Vigilância em Saúde da 15ª Regional de Saúde, Dirceu Vedovello, "havia uma central de operações, com servidor de internet para vendas e divulgação". A distribuição era feita para todo o País. Em outra casa, foi localizada a fábrica, onde foram apreendidas embalagens e rótulos. "Alguns dos produtos interferem na pressão arterial, têm princípios ativos que seriam de faixa preta e podem até matar", acentuou. Em Maringá, foi interditada a fábrica Unilife, que também produzia medicamentos de forma irregular.Os acusados devem responder pelo crime de fabricação de medicamentos sem registro, considerado hediondo. A pena pode chegar a 15 anos de prisão. Segundo o delegado da Polícia Civil de Mandaguari, Zoroastro Prado, os donos das empresas disseram que produziam remédios por já terem dado entrada no pedido de autorização.