Amorim nega divergência interna

Cristina Amorim - O Estado de S.Paulo

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou ontem que o Brasil pode aceitar mecanismos de mercado vinculados ao desmatamento evitado de florestas tropicais, como forma de mitigação de gases-estufa. O tema gerou debates na 13.ª Conferência do Clima (COP-13)."Acho que os mecanismos de mercado podem ser usados, devem ser usados. Colocamos uma palavra de cautela em relação a seu uso excessivo, a uma corrida para projetos que não reduzem emissões e permitirão que os países ricos continuem a emitir."Tanto Amorim quanto a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, negaram que houvesse divergências na delegação brasileira. "Antes o debate acontecia num nível técnico e passou para um nível político, então sempre há uma mudança de tom", afirmou o chanceler. Marina foi mais direta: "Alguém falou com o ministro Amorim? Alguém falou comigo? Não houve mudança nenhuma."