Americano com suspeita de gripe suína morre no RS

CARLOS ROLLSING, FABIANE LEITE, EMÍLIO SANT´ANNA E - O Estado de S.Paulo

Resultado de exames feitos no paciente sairá amanhã

O americano Michael Glenn Brannan, de 58 anos, morreu na tarde de sexta-feira no Hospital Unimed Vale do Caí, em Montenegro, a 60 quilômetros de Porto Alegre, com suspeitas de ter contraído a gripe suína. O caso está em investigação e, segundo Secretaria Estadual da Saúde e a direção do hospital, a confirmação da causa da morte será informada amanhã, quando estarão prontos os resultados dos exames. Brannan, que apresentou sintomas da doença, era engenheiro mecânico e estava no Rio Grande do Sul em viagem de trabalho. Ele chegou ao Estado em 21 de junho, domingo, porém, na quarta-feira passada foi internado no Hospital Unimed Vale do Caí queixando-se de dores e febre. O paciente entrou em coma no dia seguinte e, posteriormente, morreu. O hospital diz que ele permaneceu isolado durante a internação. No País, foram confirmados ontem mais 69 casos da doença, levando o total para 591 casos. Há 477 casos suspeitos em monitoramento. Anteontem, o governo lançou novas orientações para confirmação de casos e atendimento. RECURSOS O Ministério da Saúde já comprometeu 59% dos R$ 102,4 milhões destinados em maio deste ano ao enfrentamento da pandemia de gripe suína, de acordo com levantamento divulgado a pedido do Estado. Em nota, a pasta informou que "a definição sobre a necessidade de novos recursos será tomada com base na avaliação do quadro epidemiológico e da situação do vírus A (H1N1) no País (...), que tem sido feita de forma permanente pelo Gabinete Executivo Interministerial". A maior parte da verba, no entanto, ainda não foi efetivamente gasta - apenas R$ 21 milhões já foram liquidados, o que no jargão dos orçamentos públicos indica que os fornecedores já receberam. O restante se refere a verba empenhada (reservada), mas que ainda não foi realmente paga. Os gastos ocorreram principalmente em ações de comunicação. "Lembramos que neste momento se torna fundamental informar ao cidadão as medidas de prevenção para evitar a infecção pelo vírus e orientá-lo sobre onde buscar diagnóstico e tratamento", enfatizou o ministério. Dos valores empenhados, a maioria foi para compra de kits de diagnóstico e medicamentos. Do total de R$ 102,4 milhões destinados ao ministério, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos ficou com a maior parte (recebeu R$ 60 milhões), seguida da Comunicação Social, com R$ 25 milhões. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que vigia portos e aeroportos, ficou com R$ 1,4 milhão. FESTIVAL A Secretaria Municipal da Saúde de Campos do Jordão está em alerta e vai monitorar o alojamento de bolsistas que vão participar do 40º Festival Internacional de Inverno para tentar evitar avanço de casos . Este ano estão previstos 146 bolsistas de países como Argentina, Estados Unidos, Chile, Venezuela, Uruguai e México. Serão distribuídos panfletos com orientação nos principais pontos turísticos.