Aluno agredido em trote não quer voltar à aula

- O Estado de S.Paulo

Após ser agredido com socos e pontapés por veteranos ao ter se negado a participar do trote, no primeiro dia de aula, anteontem, o operador de empilhadeira Márcio Marques da Silva, de 24 anos, não voltará à Universidade Nove de Julho (Uninove) na Barra Funda. A família pretende processar a faculdade. Marcio ficou machucado no rosto e teve as roupas rasgadas.