Alopecia: Entenda o que é a condição capilar de Jada Pinkett Smith

Sabrina Legramandi* - O Estado de S.Paulo

Piada feita por Chris Rock sobre a doença da atriz gerou o tapa de Will Smith, marido de Jada

Jada Pinkett Smith, mulher de Will Smith, sofre com a alopecia, condição que provoca queda do cabelo e dos pelos do corpo.

Jada Pinkett Smith, mulher de Will Smith, sofre com a alopecia, condição que provoca queda do cabelo e dos pelos do corpo. Foto: Angela Weiss / AFP

O momento mais surpreendente da cerimônia do Oscar 2022 aconteceu durante a apresentação. Ao anunciar o prêmio de melhor documentário, o comediante Chris Rock fez uma piada direcionada a Jada Pinkett Smith, mulher de Will Smith.

Quando ouviu o comentário, Will foi até o palco e deu um tapa no rosto do comediante. Ao voltar para onde estava sentado, ao lado de Jada, o ator gritou: "Mantenha o nome da minha mulher fora da p**** da sua boca".

A reação de Will se deu pelo fato de a mulher sofrer com uma condição genética chamada alopecia e, por isso, ter raspado o cabelo. Na ocasião, Chris comparou Jada com a personagem de cabelo raspado de GI Jane, interpretada por Demi Moore.

Assista:

 

 

O que é a alopecia?

A dermatologista Adriana Vilarinho, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD), explica que a condição está associada à queda de cabelos ou de pelos do corpo, como da sobrancelha. Ela é considerada aguda se os sintomas desaparecerem em até 6 meses ou crônica caso persista por mais tempo.

Existem vários tipos de alopecia: areata, por tração, androgenética, total, cicatricial, entre outras. A médica Andressa Sato, dermatologista do grupo Fleury, afirma que o tipo que atinge Jada é a alopecia areata não cicatricial, ou seja, por conta de uma condição autoimune, o cabelo ou os pelos do corpo da atriz podem nascer de novo.

Ela comenta que, quando alguém apresenta a cicatricial, os pelos não nascem novamente. Adriana diz que a queda areata é caracterizada pela queda de cabelo em formato circular.

A doença pode atingir homens, mulheres e, até mesmo, crianças. Andressa afirma que a condição é rara em pessoas mais velhas e em crianças, mas não tem relação com a questão racial.

Já Adriana Vilarinho comenta que dois tipos da doença podem ser observados com maior frequência em mulheres negras: a por tração, causada por uma tensão prolongada ou repetitiva do cabelo, e a química, provocada pelo uso indevido de produtos químicos que alisam o cabelo, por exemplo.

 

 

Quais são os sintomas da alopecia?

Adriana explica que os principais sintomas são falhas no couro cabeludo, áreas de clareira e queda de mais de 100 fios de cabelo por dia. Algumas pessoas chegam a apresentar coceira e vermelhidão.

Andressa diz que existe um exame específico, a tricoscopia, também conhecido como mapeamento geral do couro cabeludo, que pode auxiliar no diagnóstico. Na tricoscopia, é utilizada uma lupa que permite avaliar as características do fio que caíram e, dessa forma, determinar o tipo de alopecia.

 

 

Como é feito o tratamento da alopecia?

Segundo Adriana, o tratamento depende do diagnóstico do paciente. Alguns podem ser realizados em casa, enquanto outros dependem da aplicação de lasers em consultórios ou, até mesmo, de uma cirurgia para a reposição dos fios.

Andressa lembra que, para ser feito corretamente, a pessoa que sofre com a doença deve iniciar o tratamento o mais rápido possível. Além disso, saber o tipo de alopecia também permite que o tratamento tenha um resultado satisfatório.

*Estagiária sob supervisão de Charlise de Morais