Alongamento: Estica e Puxa

Eduardo Diório, do Jornal da Tarde - O Estado de S.Paulo

Esse tipo de exercício evita dores e traz mais disposição: é a chave do bem-estar

Não basta ter o melhor plano de saúde ou realizar check-ups periódicos para ficar em dia com o bem-estar do corpo. Estudos recentes comprovam que o estilo de vida adotado é o principal fator que interfere na sanidade física e mental. Viver de forma saudável, porém, requer conhecimento e disciplina: estar ciente dos problemas que uma vida sedentária pode acarretar ou dos malefícios que o cigarro provoca no organismo já é um bom começo para pensar em novos hábitos de vida. Não sabe por onde começar? Fazer alongamentos pode ser o primeiro passo. Uma pesquisa realizada pela British Heart Foundationcom servidores públicos de Londres (Inglaterra), e publicada na revista European Heart Journal, mostra que empregados com menos de 50 anos que sofrem de estresse têm 68% mais chance de desenvolver doenças cardíacas do que os que trabalham em ambientes livres de pressões. O estudo - que observou mais de 10 mil funcionários - também constatou que 32% do impacto do estresse se deve à má alimentação e à falta de exercícios."Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), quase dez milhões de pessoas morreram no Brasil em decorrência de enfarte do miocárdio, derrame cerebral, câncer e diabetes. Essas doenças não apareceram de repente. Elas surgiram em conseqüência de um estilo de vida não-saudável", lembra Alberto Ogata, presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV). "Claro que se alguém adotar bons hábitos não viverá para sempre, mas estará longe desses males", completa.Para o médico Ricardo de Marchi, mestre pela Universidade de Paris IV com especialização em Corporate Wellness and Sports Medicine (Bem-estar Corporativo e Medicina do Esporte) pela Stanford University, não é tão difícil escapar dos dados da OMS. "Um estilo de vida positivo aliado ao humor, desafios, alegria e exercícios faz com que o corpo se torne saudável." Ele garante que o alongamento é um forte aliado "que ajuda a manter o corpo mais flexível e adiar, ou mesmo diminuir, o aparecimento de dores."Inelia Garcia, professora do The Pilates Studio, é especialista em alongamento e não passa um dia sem esticar o corpo. "Por meio do alongamento, melhoramos a capacidade de relaxamento do físico e da mente, melhorando o equilíbrio muscular e a circulação", explica. A profissional acredita que, depois de um tempo, a pessoa passa a ter mais controle da respiração, além de mais agilidade e força. "Antes de começar qualquer tipo de atividade que proporcione qualidade de vida, por mais tranqüila que seja, é preciso procurar um médico que indicará quais são os exercícios ideais para o futuro esportista", alerta Inelia.Foi em busca do bem-estar que a personal trainer Paola Uhlendorff, 41 anos, passou a se dedicar ao alongamento. Adepta da musculação, encontrou em uma simples espreguiçada o elemento que faltava para começar bem o dia. "Depois de me esticar como um gato, meu dia ganha outra cor. Isso me ajuda a ter mais liberdade nos movimentos e um controle maior dos movimentos do corpo", conta. Assim como Paola, a fisioterapeuta Eliane Franckevicius, 40 anos, não dispensa o alongamento. "É um jeito que encontrei de liberar o peso que carrego nas costas por conta do dia atribulado."Carregar peso nas costas não é bom para as articulações. Quando o peso extra faz parte da própria estrutura corporal, na forma de gordurinhas, também há problemas. "As pessoas não sabem que o aumento da medida da circunferência da cintura é um importante fator de risco para doenças cardíacas. Um homem com circunferência abdominal maior ou igual a 94cm possui 3,25 vezes mais risco do que aqueles abaixo dessa medida", diz Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital do Coração.Para os adultos, o cardiologista indica uma caminhada de 30 minutos por dia; para as crianças que estão acima do peso, o ideal são 60 minutos de atividade física diária. "Procure ajuda de pessoas incentivadoras que participem com você ou possam reforçar a importância da prática de exercícios. Também é interessante reduzir o tempo que a sua família passa diante da TV", completa Pavanello.O estudante Leandro Pereira Gevaerd, de 21 anos, encontrou nos exercícios aeróbicos a solução para o excesso de peso que apresentava desde a adolescência. Hoje em dia, vai à academia ao menos cinco vezes por semana. "Tinha mais peso quando era garoto. Em dois anos de academia, fiquei com um corpo bacana e com a mente mas tranqüila, que é o mais importante", conta. Quando precisa esvaziar a cabeça de problemas, ele apela para uma corrida pelo parque e para uma alongada no corpo. "Acho que isso tem ajudado a aumentar a minha flexibilidade."O professor de musculação da academia Competition, Rodrigo Wilson de Freitas, acredita que a opção de Gevaerd pelas atividades físicas para queimar calorias foi bastante certeira. "A partir dos 15 anos de idade, todo mundo deveria praticar atividades físicas com dedicação." Segundo o profissional, caminhar e alongar são práticas fundamentais para viver bem, deixando os esportistas longe de vários problemas de saúde. "Como diz o velho ditado, se o corpo está são, automaticamente a mente estará sã", completa.