Agentes são treinados em floresta paulista

José Maria Tomazela, SOROCABA - O Estado de S.Paulo

Em curso de 40 dias, 175 analistas ambientais vão aprender a gerir e fiscalizar parques

Para reforçar a fiscalização contra o desmatamento e outros crimes ambientais na Amazônia, 175 analistas estão sendo treinados na Floresta Nacional (Flona) de Ipanema, em Iperó, região de Sorocaba (SP).

Em 40 dias, eles vão aprender desde a gestão dos parques nacionais até ações de fiscalização, como autuação, multa e apreensão de espécies da fauna e da flora retiradas das unidades de conservação e do entorno. Os analistas têm poder de polícia administrativa.

Os novos agentes serão destinados às quase 200 unidades de conservação na Amazônia Legal, segundo o chefe da Flona de Ipanema, Alexandre Cordeiro. "Essa região concentra dois terços das 304 unidades de conservação federais, mas tem apenas um quarto dos agentes", afirma. A formação desses analistas, aprovados em concurso, ajudará a reduzir a defasagem de pessoal.

Segundo Cordeiro, enquanto o Serviço Nacional de Parque dos Estados Unidos dispõe de 16 mil servidores para fiscalizar 35 milhões de hectares, o Instituto Chico Mendes tem 2,2 mil para cobrir uma área protegida muito maior, de 78 milhões de hectares. Será a primeira turma formada na Academia Nacional de Biodiversidade, inaugurada neste mês, na Flona de Iperó. O curso vai durar 40 dias e os ambientalistas terão também aulas práticas.

"A Floresta de Ipanema, que já abrigou um centro de engenharia agrícola, oferece condições interessantes para o aprendizado", diz Cordeiro.

A área, de 5 mil hectares, possui um dos principais remanescentes de mata atlântica do planalto paulista e, por estar em uma região em processo de urbanização, será usada para exercícios de monitoramento e fiscalização. A academia tem alojamento para 180 alunos e 50 instrutores, além de auditório, salas de aulas e refeitório.

COMPARE

2,2 mil

agentes do Instituto Chico

Mendes têm a obrigação de

fiscalizar uma área protegida de 78 milhões de hectares

16 mil

servidores do Serviço Nacional

de Parque dos Estados Unidos são responsáveis por fiscalizar uma área bem menor, de 35

milhões de hectares