Ácido fólico pode reduzir risco de parto prematuro

Alexandre Gonçalves - O Estado de S.Paulo

Tomar suplementos de ácido fólico por, no mínimo, um ano antes da concepção diminui as chances de parto prematuro. Foi o que mostrou um estudo da Universidade do Texas, nos Estudos Unidos, publicado pela PLoS Medicine. Até agora, não se conhecia métodos eficazes para diminuir a ocorrência de partos prematuros. A pesquisa estudou cerca de 35 mil mães. Aquelas que tomaram o suplemento, tiveram uma redução de 70% na incidência de partos prematuros entre a 20ª e a 28ª semanas e de 50% entre a 28ª e a 32ª semana. Crianças prematuras possuem menos chances de sobreviver e mais doenças respiratórias. O problema ocorre em cerca de 10% dos partos. Os dados foram colhidos originalmente para uma pesquisa americana sobre síndrome de Down que também reunia informações sobre consumo de ácido fólico. Uma análise d a descoberta por Nicholas Fisk, da Universidade de Brisbane na Austrália, acompanha o artigo publicado na PLoS. O pesquisador aponta o grande espaço amostral do estudo como um ponto forte, mas considera necessário realizar outros estudos para esclarecer se outros fatores, além do consumo de ácido fólico, contribuíram para diminuir os partos prematuros. Hélio Vannucchi, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), recorda que, no Brasil, as farinhas de trigo e de milho são fortificadas com ácido fólico desde 2004. "Estudos realizados no Chile comprovam que a estratégia diminui muito a incidência de lesões do tubo neural nos fetos", aponta Vannucchi.