Achado na China crânio de 100 mil anos

EFE - O Estado de S.Paulo

Arqueólogos chineses desenterraram os restos de um crânio humano que pode ter 100 mil anos, o que transforma a descoberta "na mais importante" ocorrida na China desde que foram achados os restos do Homem de Pequim, no começo do século 20. Segundo o diretor da Administração Estatal do Legado Cultural, Shan Jixiang, "o interior do crânio ainda conserva uma membrana fossilizada, que permitirá aos cientistas estudar o sistema nervoso dos antepassados do Paleolítico".