Ação humana extinguiu 27% da fauna entre 1970 e 2005

EFE - O Estado de S.Paulo

Mais de um quarto da fauna do planeta desapareceu desde 1970 exclusivamente por causa da ação humana, diz relatório conjunto da Sociedade de Zoologia de Londres (ZSL) e do Fundo Mundial da Natureza (WWF), divulgado ontem.O Índice Planeta Vivo (LPI, na sigla em inglês), apresentado às vésperas da 9ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) da ONU, em Bonn, na Alemanha, mostra que, nos 35 anos entre 1970 e 2005, a população de animais do planeta caiu, em média, 27% .As espécies mais atingidas foram as marinhas, entre elas o peixe-espada e o tubarão-martelo, que perderam 28% de suas populações entre 1995 e 2005. Já a população de aves marinhas caiu cerca de 30% desde meados dos anos 1990.Para elaborar o LPI, a Sociedade de Zoologia acompanhou a evolução de 4.000 populações de 302 espécies de mamíferos, 811 de pássaros, 241 de peixes, 83 de anfíbios e 40 espécies de répteis.Entre outras constatações, os pesquisadores concluíram que a população das espécies terrestres caiu cerca de 25% entre 1970 - ano em que tive início o registro dos dados - e 2005. Já as espécies de água doce caíram cerca de 29% até 2003.Há suspeitas de que o baiji, ou boto branco do Rio Yang-tse, na China, esteja extinto.O índice mostra que o declínio da fauna é mais acentuado nos países tropicais da América Latina, África e Sudeste Asiático, onde ocorre uma industrialização acelerada. Tanto o WWF quanto a Sociedade de Zoologia elaboram estudos periódicos, mas esse relatório específico foi montado para a reunião da CDB, com o objetivo de "alertar governos para a perda alarmante de biodiversidade", disse um dos autores, Jonathan Oloh, da ZSL.A Convenção foi firmada em 1992, com o objetivo de estabilizar a taxa de extinção de espécies e, em 2002, os Estados signatários comprometeram-se a reduzir significativamente o ritmo de desaparecimentos até 2010.META NÃO SERÁ ATINGIDA"Está claro que o objetivo não será atingido", disse Oloh, destacando que a perda da fauna é causada "exclusivamente pela ação humana".Poluição, agricultura extensiva, expansão urbana, caça e pesca predatórias são algumas das ações que vêm destruindo hábitats e provocando extinções, afirmou.O diretor de campanhas da WWF, Colin Butler, alertou que, ao longo dos próximos 30 anos, a mudança climática, provocada pelo homem, será uma das principais ameaças para a biodiversidade."A biodiversidade determina a saúde do planeta e tem um impacto direto em nossas vidas, e por isso é assustador que, a despeito de sabermos cada vez mais sobre as questões do meio ambiente, continuemos a viver numa tendência de baixa", declarou.