A ração de cada um

Cristiana Vieira - O Estado de S.Paulo

O uso indiscriminado da ração humana pode desencadear alguns problemas de saúde.

 

Quando um produto promete a queima de gordura e, consequentemente, a perda de peso, tem sucesso garantido. Foi assim com a tão falada "ração humana". Porém, até hoje, não há um estudo científico que ateste os efeitos positivos que a tal mistura pode promover ao corpo humano. Mais: é bom ficar ciente dos riscos quando usada sem a orientação médica.

 

 

Profissionais como a nutricionista Valéria Paschoal, mestre na área de Nutrição e Pediatria pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), têm testemunhado experiências negativas de consumidores desavisados, que fizeram uso aleatório da ração humana pronta, sem respeitarem suas características bioquímicas. Entre os pacientes que atendeu, havia registros de diarreia constante, perda capilar, retenção de líquido, aumento de celulite (que é uma doença inflamatória) e até ganho de peso.

 

 

Segundo a nutricionista, ao invés de conseguir o tão sonhado emagrecimento, há quem desenvolva algum tipo de alergia, o que desencadeia um processo inflamatório ou de retenção de líquido - que, consequentemente, faz aumentar o peso. Também há casos em que a alergia provoca sintomas como enxaqueca, má digestão, flatulência, funcionamento intestinal irregular, cansaço, indisposição, depressão, etc.

 

 

A dona de casa Danúzia Rodrigues dos Reis Andrade, de 55 anos, assistiu a um programa de TV totalmente dedicado ao tema ração humana. No dia seguinte, lá estava ela saindo de uma loja de produtos naturais com seu pacotinho. Trocou seu café da manhã e o da tarde por um copo de leite misturado à ração, e bebia bastante água ao longo do dia. Ela tinha certeza de que reduziria seus 70 quilos (em 1,58 metro de altura) para os desejados 65 quilos. Um mês depois, o resultado foi muita dor de estômago e quatro quilos a mais. "Agora terei de emagrecer mais", lamenta, depois de jogar o restante da poção mágica no lixo.

 

 

O médico nutrólogo e vice-presidente da Academia Nacional de Nutrologia, Euclésio Bragança, sugere o consumo sob orientação especializada, e destaca que o produto não pode ser usado como substituto de refeição. Além disso, pode ser prejudicial para quem tem doença pré-existente. "Não é indicado para diabéticos, por exemplo, por conter açúcar mascavo, nem para quem tem problemas cardíacos, já que contém guaraná em pó, que é um estimulante."

 

 

Ração customizada. A massoterapeuta Mayda Contar, de 33 anos, faz uso de alguns dos ingredientes que compõem a ração humana vendida pronta. Ou seja, há cerca de três anos, uma nutricionista a prescreve uma fórmula personalizada, que ela própria prepara. Depois, junta a mistura ao leite de soja ou suco, e toma quase todas as manhãs. "É meu café da manhã. Sinto-me saciada e disposta. Também notei diferença na pele e nos cabelos."

 

 

Quando troca sua ração matinal por outro alimento, acaba passando mal e se sente "estufada". "Meu organismo se acostumou com este preparo, que é leve, nutritivo e me faz bem." Os efeitos desses alimentos, destaca a nutricionista Valéria Paschoal, podem ser potencializados quando consumidos numa dieta individualizada e equilibrada, somando-se às devidas horas de sono e atividade física frequente. Além disso, é importante fazer sempre um rodízio dos ingredientes.

 

 

A ração humana que é vendida pronta equivale a uma mistura de cereais e sementes. É composta por açúcar mascavo, aveia, cacau, fibra de trigo, farinha de arroz integral, farinha de casca de maracujá, farinha de milho, extrato de soja, gergelim com casca, gérmen de trigo, guaraná em pó, levedo de cerveja, semente de linhaça. É considerado um alimento rico em gorduras de boa qualidade, minerais, vitaminas, carboidratos e fibras alimentares. E seu prometido efeito emagrecedor vem da significativa quantidade de fibras, responsáveis pela regulação intestinal, controle da glicemia, saciedade e, consequentemente, diminuição do peso corporal.

 

 

Mas não é só dos benefícios que o consumidor deve ser informado. O que precisa ser esclarecido é que quem consome fibras precisa beber bastante água. Caso contrário, ao invés de melhorar o trânsito intestinal, o resultado será a constipação. Assim como o glúten, ingrediente encontrado no trigo e na aveia, cujo efeito pode causar hipersensibilidade, que, além de desregular o intestino, pode desfavorecer a absorção adequada de nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo e até desencadear alguma alergia. Para se ter uma ideia, a soja, um dos ingredientes da ração pronta, quando consumida exageradamente e sem indicação médica, pode causar alterações na tireoide.