''A gente tem de substituir aquilo que não tem em casa''

- O Estado de S.Paulo

Responsável pelo Ler e Escrever no governo paulista e na Prefeitura, a professora Iara Glória Areias Prado chorou ao falar dos erros que determinaram a exclusão de seis livros do programa. Ao final da entrevista, realizada na sede da Secretaria da Educação, disse ter ficado abalada por causa de críticas que havia lido na internet. Como avalia o que ocorreu? Foi muito triste. O programa começou a ser denegrido por um erro (...). Tem um livro totalmente inadequado, que é o Dez... É um livro adulto. Erramos. Os outros foram inadequações. Quando você erra um primeiro, tem de ter um olhar muito mais rigoroso. O programa sai arranhado? O programa vai bem. Na sala de aula, a gente tem de substituir aquilo que não tem em casa, botando uma diversidade muito grande. Qual é a piada preconceituosa em uma obra devolvida? É piada de português. Aí tem uma discussão maior: qual é a função da piada para as crianças e como ela tem de ser trabalhada? É um ótimo momento para trabalhar preconceito.