2ª fase da Fuvest começa com 5,8% de abstenção

Alexandre Gonçalves - O Estado de S.Paulo

Professores consideram difíceis e bem elaboradas prova de português e tema da redação

Ontem, no primeiro dia da segunda fase do vestibular da Fuvest - o mais concorrido do País -, 2.243 dos 38.606 candidatos deixaram de comparecer à prova de português e redação. A abstenção, de 5,81%, foi um pouco maior que a do ano passado, quando faltaram 5,42% dos candidatos.A professora de Português do Curso e Colégio Objetivo, Elisabeth de Melo Massaranduba, considera o tema da redação - "fronteiras" - perigoso para os alunos. Na proposta do tema, a Fuvest forneceu pouco material de apoio aos candidatos. Apenas a imagem de uma calçada em cujo piso estava demarcada a fronteira entre Holanda e Bélgica, retirada da enciclopédia virtual Wikipedia, e a definição da palavra "fronteira" no Dicionário Houaiss. Depois de sublinhar que o termo admite vários sentidos - geográfico, físico, psicológico, etc. -, a Fuvest solicitava a escolha de uma ou duas abordagens e a redação de um texto dissertativo."O aluno corria o risco de escrever uma notícia de jornal", argumenta Elisabeth. "Ou seja, um texto com muita informação, mas sem reflexão." Para Célia Passoni, coordenadora de língua portuguesa do Curso e Colégio Etapa, o candidato deveria fechar o leque de opções logo no início da prova. "Escolher uma abordagem e desenvolvê-la", resume Célia.Para Nelson Dutra, também do Objetivo, a prova de português não estava fácil, mas também não exigia "notas de rodapé e picuinhas". "O candidato com boa compreensão do enunciado, capacidade crítica e competência linguística tinha tudo para fazer uma boa prova", considera Dutra. Roberto Juliano, do Cursinho da Poli, concorda: "Não havia armadilhas", afirma. "A Fuvest manteve o mesmo nível de dificuldade dos anos anteriores." Os candidatos não precisavam adotar as normas do novo acordo ortográfico, mas uma questão discutia as modificações sofridas pela língua ao longo do tempo.Dutra lembra que Carlos Drummond de Andrade não foi lembrado nas questões, apesar de estar na lista de livros exigidos pela Fuvest. "Mas é normal. No ano passado, Guimarães Rosa ficou de fora das questões", aponta Dutra. Ele considera as questões de literatura bem elaboradas: "Fugiram do conhecimento decorado, automatizado", avaliou. PRÓXIMOS DIASComeçam amanhã as provas de habilidades específicas do curso de Artes Cênicas. Na quarta-feira, ocorrerá o exame específico do curso superior de Audiovisual. Na quinta-feira, será o primeiro dia da prova de habilidades dos cursos de Arquitetura e Design da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Na sexta-feira, o curso de Arquitetura da USP de São Carlos avaliará as aptidões específicas dos seus candidatos.Hoje, 17.485 candidatos devem fazer a prova de História e 14.747 a de Química.