Zé Neto e Cristiano revelam acidente de avião uma semana antes da morte de Marília Mendonça

REDAÇÃO - O Estado de S.Paulo

Dupla sertaneja precisou de tratamento para superar trauma e criticou artistas que ‘fizeram velório de Marília de palco’

Zé Neto, Marília Mendonça e Cristiano dividiam a música ‘Bateria Acabou’.

Zé Neto, Marília Mendonça e Cristiano dividiam a música ‘Bateria Acabou’. Foto: YouTube / Zé Neto e Cristiano

O sertanejo Zé Neto, parceiro de palco de Cristiano, contou em entrevista ao apresentador Léo Dias que uma semana antes do acidente envolvendo Marília Mendonça, os dois quase morreram num avião. A dupla ainda comentou o quanto foi difícil superar a situação ao saber que a amiga morreu em condições muito parecidas. Zé Neto não conseguiu ir ao velório de Marília e reclamou que alguns artistas presentes não tinham o menor contato com a cantora e utilizaram a situação como um palco.

O acidente envolvendo a dupla foi num jatinho alugado, exatos oito dias antes do acidente em que morreu a cantora Marília Mendonça, aos 26 anos, na sexta-feira, 5 de novembro. Os dois revelaram que tinham um avião particular, mas com as baixas no orçamento em 2021, decidiram vendê-lo para quitar dívidas com a equipe.

Para economizar, eles alugaram um avião mais barato, mas não sabiam que o veículo estava com problemas. “Nós decolamos de Cuiabá, um voo que era para durar duas horas se transformou em três horas e meia. O piloto acabou entrando com o avião numa tempestade. O radar meteorológico identificou a situação e o piloto começou a chorar. De repente, tudo começou a trepidar dentro do avião e veio um vento. Aí tudo que tinha no avião, saco de batatinha, lata de coca, tudo começou a estourar, tudo! Por causa da despressurização. Eu gravei um vídeo só pra avisar a minha família que eu não ia mais fazer show. Cancelamos todos os shows, não queríamos mais andar de avião, só fazíamos os shows por perto, que dava pra ir de ônibus.”

Ao saber que Marília tinha morrido num acidente aéreo, Zé Neto revelou que não sabia o que fazer. “Perdi seis quilos em dois dias, só fazia tomar calmante e dormir”, contou.

Ele ainda explicou porque não conseguiu ir para o velório. Ficou muito abalado e tem essa dificuldade em se despedir quando perde alguém querido. “Paramos tudo, cancelamos shows, foi um baque psicológico. Foi preciso de muito acompanhamento profissional. A cabeça da gente é o seguinte: se a tua cabeça falar que tu não vai conseguir, tu não consegue fazer”, revelou Zé Neto, que ficou sem conseguir cantar, sem voz, após o acidente da amiga.

“A gente começou junto, a gente estourou junto. Quando começamos, chegamos a morar na mesma casa. Se tivesse dificuldade para comer, um ajudava o outro”. 

 

 

O último encontro com a cantora foi num show no Villa Country, quando ela entrou de surpresa no palco, cantando com Maiara e Maraisa. Foi o primeiro show que eles fizeram quando as medidas de restrição para conter a pandemia começaram a ser afrouxadas. Para Zé Neto, a surpresa foi uma das melhores memórias da amiga, que ele vai carregar pra sempre.

 

 

Já Cristiano, contou que a viagem para Cancún em família foi uma das melhores experiências que já teve. “Ficamos três dias juntos conhecendo Cancún, turistando. Foi muito marcante”. Zé Neto também estava nessa viagem. “Tenho uma foto de nós três, com ela dormindo bêbada no fundo do carro, sensacional”.

 

 

Ao serem questionados por Leo Dias sobre os artistas que estiveram no velório, Zé Neto falou que houve quem fizesse a morte da amiga de palco. “Eu não achei legal que algumas pessoas que não tinham nenhuma proximidade com a Marília usaram o velório dela como palco”. 

“Eu fui de óculos e boné, não queria estar lá pra cantar, eu estava lá para ficar com a família dela, com os nossos amigos”, contou Cristiano.