Winona Ryder: 'Estou cansada de pessoas envergonhando mulheres por serem sensíveis ou vulneráveis'

- O Estado de S.Paulo

Sua personagem em 'Stranger Things', Joyce Byers, sofre de ansiedade

Foto: Reprodução/Netflix

Winona Ryder, atriz de sucesso nos anos 1990, voltou ao centro das atenções recentemente com Joyce Byers, seu papel em Stranger Things, série original da Netflix. A personagem é uma funcionária de loja e mãe, cujo filho some misteriosamente.Em entrevista à New York Magazine, Winona faz um paralelo entre seu papel e as mães da vida real, que conhece.

"Eu sinto como se ela [a personagem] fosse uma dessas pessoas que têm sonhos. Mas ela tem filhos. E isso me faz pensar em todas as mulheres que eu conheço que têm filhos, e quando elas falam sobre [qualquer coisa negativa sobre ser mãe], elas sempre dizem 'Mas eu amo meus filhos, eu não trocaria eles por nada no mundo'. Elas se sentem culpadas por ao menos pensar que poderiam querer algo além das crianças. Isso é uma coisa estranha", disse. 

A atriz conta que é muito questionada sobre como consegue realizar o papel, já que não é mãe. "Eu sei que nada pode se comparar, e eu não tive a experiência [de ser mãe], mas quando minha sobrinha nasceu, eu senti que pularia na frente de um carro e morreria por essa pequena pessoa que eu mal conhecia", revela.

Na entrevista, ela ainda fala sobre os problemas psicológicos de sua personagem e de como a sociedade lida mal com esse tipo de situação. "Há uma linha em Stranger Things onde alguém diz: 'Ela [a personagem] teve problemas de ansiedade no passado'. Muitas pessoas entenderam isso como 'oh, você sabe, ela é louca'. E eu pensei: 'Ok, espera um segundo, ela está lutando'. Duas crianças, pai ausente, trabalhando muito. Quem não seria ansiosa?", questiona Winona.

"Eu estou tão cansada de pessoas envergonhando mulheres por serem sensíveis ou vulneráveis. É tão bizarro para mim", desabafa. Isso porque a própria atriz já revelou ter sofrido de depressão e ansiedade no passado.

"Eu lembro que fiz uma entrevista com Diane Sawyer e falei sobre minhas experiências com ansiedade e depressão na época, e eu acho que, fazendo isso, ficou essa imagem de 'louca'. E eu percebi recentemente que é literalmente impossível tentar mudar essa história", relembra. A entrevista em questão foi ao ar em 1999 e, no final da conversa, Ryder contou que ela se sentia envergonhada por ter se sentido depressiva.

A artista contou que essa revelação chegou a ajudar mulheres na época. "Eu tive mulheres vindo a mim e dizendo 'isso significou tanto para mim'. É muito importante quando você percebe que alguém estava passando por uma época difícil e se sentindo envergonhada e tentando esconder a coisa toda, a parte sensível e frágio. Eu tenho essas qualidades, e não acho que há qualquer coisa errada com elas", falou a atriz à NY Magazine.