Versátil e incansável, Regiane Alves comemora bom momento na carreira

Charlise Morais - O Estado de S.Paulo

Atriz, que é finalista a melhor atriz no Prêmio Shell pela interpretação de Raquel na peça 'Para Tão Longo Amor', se prepara para voltar à televisão em novela e série da Globo

A Atriz Regiane Alves

A Atriz Regiane Alves Foto: Divulgação

Em cartaz com o espetáculo Para Tão Longo Amor, a atriz Regiane Alves é finalista do Prêmio Shell - que chega à sua 29ª edição e premia anualmente as melhores produções de teatro do Rio de Janeiro e São Paulo. Ela concorre a melhor atriz pela interpretação de Raquel, uma poeta 'outsider' que se sente oprimida pelo namoro com seu editor, Fernando (papel de Leopoldo Pacheco). Juntos, eles vivem uma relação vertiginosa. Regiane a descreve como uma personagem "vibrante, intensa, que não cabe nesse mundo", e que ganhou vida no texto de Maria Adelaide Amaral.

 

Feliz com a indicação, a atriz conta que ficou sabendo da novidade por uma amiga. "Semana passada uma amiga ligou me dando os parabéns. Eu soube por ela. E não era uma amiga qualquer, ela fez teatro-escola comigo e, por isso, foi ainda mais especial. Nesse dia foi aquela sensação de aniversário, todo mundo ligando para dar os parabéns".

 

Mas o caminho até aqui não foi dos mais fáceis. A atriz, que também é produtora da peça, ficou quatro anos com o texto em mãos até a estreia do espetáculo. "A Lucia [Regina de Souza], que é a coprodutora, apresentou o texto da Adelaide e fiquei impressionada, fiquei com muita vontade de fazer porque achei que era uma grande personagem e as pessoas pediam muito pra eu fazer um drama", revela. Isso aconteceu em 2012. "Eu consegui o financiamento por meio da Lei Rouanet, mas não consegui patrocínio. Nesse período eu tive dois filhos e parei um pouco, mas este ano resolvi não esperar mais e decidi fazer com recursos próprios".

 

Leopoldo Pacheco e Regiane Alves estão em cartaz com a peça Para Tão Longo Amor

Leopoldo Pacheco e Regiane Alves estão em cartaz com a peça Para Tão Longo Amor Foto: Pino Gomes/ Divulgação

 

A hora certa. Regiane conta que até a estreia foram quatro anos de muita angústia. "Eu peguei o texto em 2012 e eu demorei quatro anos com ele, e eu ficava angustiada, achava que ela (Maria Adelaide Amaral) não ia acreditar em mim, porque estava demorando para as coisas acontecerem. Daí ela me contou a história da 'Mademouseille Chanel': 'que ela tinha sido feita para Tônia Carrero e ela não quis fazer a peça. O texto passou pela mão de várias atrizes até chegar à Marília (Pêra) e foi um tremendo sucesso'. Então, o que a Adelaide me disse foi que 'as coisas acontecem nas horas certas, são encontros nas horas certas'. Acho que foi isso que aconteceu comigo. Ela achou que tinha que ter acontecido agora, que eu precisava passar pela experiência de ser mãe para chegar nesse espetáculo", revela.

 

A seu favor, veio o convite para inaugurar com o espetáculo Para Tão Longo Amor no Teatro MorumbiShopping. "É um luxo para a vida de um artista abrir um lugar que a gente deseja que fique por muito tempo, é maravilhoso", explica. "Por tudo isso, eu já me sinto ganhadora, nem preciso ganhar o prêmio, é muito legal", completa.

 

Televisão. Após a temporada paulista, que termina em julho, Regiane se prepara para viver Beth na novela 'A Lei do Amor', com autoria de Maria Adelaide Amaral, com quem a atriz continua a parceria.

"O Vincent Villari me convidou dizendo que tinha uma personagem para mim, que entra a partir do capítulo 50. É perfeito, porque dá tempo para eu viajar com a peça."

 

Sobre a sua personagem na nova trama das 21h, a atriz conta que Beth mora nos Estados Unidos e é namorada de Augusto (personagem de Ricardo Tozzi). Quando ela retorna ao Brasil, cheia de saudades do amado, descobre que ele está envolvido com Vitória (Camila Morgado) - eles já tiveram uma história no passado. Então ela chega para atrapalhar a trama e a história gira em torno desse triângulo amoroso.

Em seguida, a atriz engata na gravação de uma série. "É do Mauro Wilson e será dirigida por Maurício Faria, chama-se Zózimo - uma série dos anos 1950, que vai ao ar no ano que vem na Rede Globo, será semanal e deve estrear no meio de 2017. Ou seja, acabo a novela e já começo a gravar a série", revela.

 

Sua personagem será Marli, uma prostituta dos anos 1950. "Ela é apaixonada por um detetive, que é o Vladimir Brichta. E ela jura que é a mulher dele, mas ele não assume a relação e ela morre de amor por esse homem".

 

O elenco conta ainda com Ailton Graça e Daniel Boaventura. "Terão episódios engraçados, outros de mistério. É um projeto muito legal", diz Regiane. "Essa é a primeira vez que vou fazer uma série. Me sinto num lugar especial", finaliza.