Tatá Werneck fala sobre a morte da avó: 'Achei que não fosse suportar'

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz foi criada por Hermelinda Arguelhes, a quem chama de Denguinho, e diz que perdê-la sempre foi um grande medo

Tatá Werneck durante o quadro Arquivo Confidencial, do 'Domingão do Faustão', vendo o depoimento da avó.

Tatá Werneck durante o quadro Arquivo Confidencial, do 'Domingão do Faustão', vendo o depoimento da avó. Foto: Instagram/@tatawerneck

Tatá Werneck fez uma emocionante homenagem à avó Hermelinda Arguelhes, que morreu na noite desta quinta-feira, 30. Em uma publicação no Instagram, a atriz falou sobre a importância de Denguinho, como costumava chamá-la, na vida dela.

O post é de um trecho do quadro Arquivo Confidencial, do qual a humorista participou quando Fausto Silva apresentava o Domingão. Nele, a artista recebe um depoimento da avó e depois diz que foi criada por ela.

Na publicação, Tatá falou sobre o momento que soube da morte de Hermelinda e como lidou com a situação.

"Esse sempre foi meu maior medo desde criança: perder minha vó Denguinho. Minha alma gêmea. Minha melhor amiga. Minha confidente. A mulher que me ensinou a ter fé. A mulher que me ensinou a ser forte. Achei que não fosse suportar. Cheguei a desmaiar. Eu queria ter forças pra você ir embora segurando a minha mão. Mas sou medrosa. Achei que não fosse ter coragem. Mas você me esperou. Esperou que eu me fortalecesse", escreveu.

A atriz comentou que a avó foi "a mulher mais otimista", que nunca a deixou desistir e que agora está "pronta pra seguir com tudo que me ensinou".

"Chorando e rindo ao mesmo tempo. Eu te amo mais do que qualquer abraço ou beijo ou declaração que possa ter conseguido fazer", completou. Em outra publicação, de uma foto mais antiga, Tatá mostrou que sempre esteve "agarrada" à Hermelinda.