'Sempre senti falta da voz feminina para o sertanejo', diz Roberta Miranda

Redação - O Estado de S.Paulo

Cantora ainda falou sobre feminismo: 'Se ser feminista é lutar pela mulher, pelo empoderamento e pelo lugar ao sol, eu me considero'

Roberta Miranda. 

Roberta Miranda.  Foto: 'Mariana Godoy Entrevista'/RedeTV!

O Mariana Godoy Entrevista desta sexta-feira, 3, recebe Roberta Miranda. Na entrevista, a cantora fala sobre a força da presença feminina no sertanejo e sobre seu amadurecimento na música após 30 anos de carreira.

Questionada sobre o movimento do 'feminejo', Roberta falou: "Sem nenhuma falsa modéstia, fiquei aí 25 anos reinando sozinha. Sempre senti muita falta da voz feminina para o sertanejo, já que era um mundo comandado por bota e chapéu. Eu ia para a rádio ou para as revistas e dizia 'gente, cadê as vozes femininas? Estamos precisando'. E agora, graças a Deus, tem essa invasão, esse movimento, acho muito legal".

A cantora diz que se considera feminista e que os homens hoje são mais respeitosos. "Se ser feminista é lutar pela mulher, pelo empoderamento e pelo lugar ao sol, eu me considero. Porém, aí tem uma grande diferença. Em momento algum eu quero desvalorizar, denegrir (sic) ou diminuir o homem, isso não. Mesmo porque os garotos e homens de hoje estão muito mais sensíveis, entendendo e respeitando mais".

Mesmo com tantos anos de carreira, Roberta revela que ainda sonha em gravar uma música em parceria com alguns artistas, principalmente Roberto Carlos. Questionada se já chegou a pedir a ele, a cantora diz: "Eu não! Sou muito tímida perante ele. Toda vez que entro no camarim, não sei falar direito. É terrível ser fã, por isso entendo e respeito porque é difícil. Eu me relaciono com ele como fã, como colega eu não consigo".

O Mariana Godoy Entrevista vai ao ar às sextas-feiras, às 23h, na RedeTV!.