Sangue: exames simples em benefício da longevidade

Gabriela Carelli - O Estado de S.Paulo

Análises sanguíneas ajudam na prevenção de doenças como câncer, depressão e Alzheimer

Pesquisadores britânicos identificaram 16 proteínas no sangue que estão relacionadas ao aparecimento de Alzheimer

Pesquisadores britânicos identificaram 16 proteínas no sangue que estão relacionadas ao aparecimento de Alzheimer Foto: Khaled Alta/Creative Commons

São raros, na medicina diagnóstica, exames tão simples e eficientes quanto os de sangue. Graças à evolução dos equipamentos e dos reagentes e aos avanços da biologia molecular, hoje os testes sanguíneos ajudam na prevenção e no tratamento de inúmeras doenças relacionadas à idade, como cardiopatias, câncer, diabetes, demência e outros transtornos psíquicos. Este ano, por exemplo, pesquisadores conseguiram pela primeira vez desenvolver exames para verificar a propensão a Alzheimer e comprovar o diagnóstico de depressão através de quantidades mínimas de sangue. Veja cinco males do envelhecimento que podem ser evitados com testes sanguíneos:

Depressão

O exame consiste na medição, através de amostras sanguíneas, de uma dezena de marcadores de RNA comuns a pacientes com depressão – as molécula de RNA são “mensageiros” que levam as instruções para ativar ou não determinados genes. Pacientes depressivos apresentam altos níveis desses marcadores de RNA no exame de sangue. A novidade promete ajudar os médicos no difícil diagnóstico da depressão, que até agora era apenas subjetivo e levava em consideração o depoimento dos pacientes e sintomas como cansaço, alterações do peso e do sono.

Alzheimer

Depois de um estudo com mais de mil pessoas, pesquisadores britânicos identificaram 16 proteínas no sangue que estão relacionadas ao aparecimento de Alzheimer. Essas proteínas estão fortemente ligadas ao encolhimento do cérebro em pacientes com séria deficiência cognitiva. O teste desenvolvido pelos cientistas detecta a existência dessas proteínas na corrente sanguínea. Pessoas com 10 dessas 16 proteínas no sangue têm chances de desenvolver Alzheimer em um período de até três anos.

Câncer

Por meio de amostras de sangue, é possível determinar se há propensão genética a tipos de câncer. Os testes mais comuns são os que identificam os genes relacionados aos tumores de intestino e mama. Mulheres com alterações nos genes BRCA1 e BRCA2 têm até 80% de risco de desenvolver câncer de mama e 40% de ter câncer de ovário.

Cardiopatias

O exame PCR ultrassensível mede as quantidades da proteína C reativa no sangue. Altos níveis indicam inflamações no organismo e riscos de enfartes e derrames. Ouro exame que pode detectar a inflamação das artérias é o PLAC, que mede na corrente sanguínea os níveis da enzima fosfolipase A2, ligada a processos inflamatórios.

Diabetes

A glicemia em jejum serve para verificar se os níveis de açúcar no sangue estão baixos ou altos demais. Quando elevados, podem indicar diabetes. Outro teste sanguíneo para detecção da doença é o de hemoglobina glicada, através do qual se avalia as alterações nos níveis de açúcar ocorridas nos últimos três meses que antecedem a análise. Os níveis de hemoglobina glicada estão relacionados a complicações da diabetes, como enfartes, insuficiência renal e AVCs.