Reginaldo Manzotti recusa convites de partidos: 'Lugar de padre não é na política'

Redação - O Estado de S.Paulo

Cantor e sacerdote ainda falou a respeito de seu complicado nascimento: 'Sou um milagre'

Padre Reginaldo Manzotti

Padre Reginaldo Manzotti Foto: Divulgação / RedeTV!

O padre Reginaldo Manzotti, apresentador do Hora do Angelus, da TV Gazeta, falou a respeito da presença de líderes religiosos do cristianismo na política em entrevista ao Mariana Godoy Entrevista, que vai ao ar nesta sexta-feira, 13, na RedeTV!.

"Lugar de padre não é na política. Já recebi convites formais de dois partidos (...). Volto a dizer que minha única candidatura é a santidade. Meu papel é estimular que as pessoas do bem estejam à frente da política, o que é raro hoje", comentou. A crítica é feita um ano antes das eleições federais de 2018.

Ao ser questionado sobre o fato de mulheres não poderem se tornar sacerdotes em sua religião, também não fugiu da resposta: "É um caso fechado. Jesus escolheu os homens".

Reginaldo ainda contou uma história comovente a respeito da forma como veio ao mundo: "Minha mãe me teve com 43 anos. Nasci com cerca de cinco quilos e com o cordão umbilical em volta do pescoço. O médico não conseguia fazer o parto. Nasci roxo e fui batizado no hospital porque não iria sobreviver. Minha mãe, na hora do desespero, disse: 'Se meu filho sobreviver, vai ter o nome de Aparecido'. Foi quando meu nome passou a ser Reginaldo Aparecido Manzotti."

"Sou um milagre. Não era para eu ter sobrevivido", completa.