Rafael Ilha recorda conflitos com Ratinho e Sérgio Mallandro: ‘Não guardo rancor’

Redação - O Estado de S.Paulo

Brincadeira com dependência química e reencontro com pai biológico constrangeram o ex-Polegar; entenda

O ex-Polegar Rafael Ilha.

O ex-Polegar Rafael Ilha. Foto: Instagram/rafael_ilha_oficial

Rafael Ilha relembrou no último domingo, 3, em entrevista ao Hora do Faro, na Record TV, seus desentendimentos com Sergio Mallandro e Ratinho, ocorridos em 2000 e 2001, respectivamente.

Na época, o músico, de 46 anos, estava em um tratamento contra as drogas e foi chamado para o Programa do Ratinho, no SBT, sob o argumento de que lhe "faria bem".

No entanto, o efeito foi outro: Ratinho armou uma 'surpresa', levando o pai biológico de Ilha — que o abandonou — para o palco do auditório. O ex-integrante do grupo Polegar ainda não conhecia o homem e não gostou do encontro. 

"Me assustei. Não foi nem um pouco bacana. Achei muito desagradável. Aquela foi a primeira e última vez que eu vi [meu progenitor]", recorda. No entanto, Rafael Ilha não tem mágoa de Ratinho. "É passado. Não guardo rancor de ninguém", disse.

Cocaína 

O artista também não sente raiva de Sergio Mallandro. O humorista o convidou para participar de seu extinto programa Festa do Mallandro, na TV Gazeta, e deixou açúcar (simulando cocaína) no camarim de Ilha para ver, em câmeras escondidas, a reação dele. "Foi uma situação triste e constrangedora. Não foi armado", relembrou ele, que não caiu na armadilha.

O ex-Polegar conversou com a IstoÉ na época e revelou que a pegadinha de mau gosto mexeu com seu psicológico. 

Faustão e Gugu

Enquanto alguns brincavam com a sua dependência química, outros o ajudavam. Foi o caso de Fausto Silva, que custeou seu tratamento, e Gugu Liberato, que o apoio financeiramente em outros momentos.

"Nunca poderia imaginar que o Faustão estaria acompanhando a minha história", afirmou. "[Já o Gugu] foi meu primeiro ídolo. Tinha ele como um pilar, uma segurança", completou.